Economia

Várzea Grande gera 463 vagas de empregos mesmo com lockdownm

A segunda maior cidade de Mato Grosso não sentiu os impactos do lockdown (fechamento total) devido ao Coronavírus, que foi determinado pela justiça e conseguiu ‘virar o jogo’ e gerar 463 vagas a mais de empregos, segundo dados da secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Em junho, foram 1.708 contratações e 1.245 desligamentos.

Consta no detalhamento que a indústria foi setor que mais ajudou para fechar o mês com saldo positivo. Foram geradas 353 vagas a mais, diferença de 665 contratos assinados e 313 encerrados. O segundo melhor resultado ocorreu no comércio com 83 trabalhadores empregados a mais, saldo de 611 admissões e 528 desligamentos.

A construção civil também contribuiu para geração de empregos. O setor criou 49 vagas, resultado de 134 admissões (para obras em edifícios, infraestrutura em rodovias entre outras) e 85 desligamentos.

Por outro lado, o setor de serviços mandou embora 19 trabalhadores, saldo de 317 desligamentos e 292 contratações. Já a agropecuária fechou dois postos de trabalhos.

Conforme Só Notícias já informou, o município de Cuiabá, que é ‘vizinho’ de Várzea Grande e também precisou cumprir o lockdown judicial sentiu os impactos das restrições. Foram 181 pessoas mandadas embora.

Nova Mutum manteve em junho saldo positivo na geração de empregos, mesmo com os impactos da pandemia do novo Coronavírus. Foram 272 vagas geradas a mais.

Em Sorriso foram criadas 448 vagas de empregos a mais.  Em Sinop, foram contratados 371 a mais, Lucas do Rio Verde gerou 86 vagas geradas a mais  e, conforme Só Notícias já informou, Cuiabá sentiu fortemente os impactos do lockdown (fechamento total) determinado judicialmente, no mês passado. Foram 181 vagas fechadas a mais.

Em todo o Estado foram geradas 6.790 vagas após reação dos principais setores da economia superando resultados negativos de meses anteriores por conta da pandemia da Covid.

Redação Só Notícias (foto: JL Siqueira/assessoria)