Economia

Sinop começa a superar a crise e volta gerar mais empregos; construção civil e indústria lideram

As indústrias e empresas de diversos segmentos da maior cidade do Nortão voltaram a gerar mais empregos, no mês de junho, mesmo com as restrições impostas através de decretos para ajudar impedir o avanço do Coronavírus. De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia divulgados, ontem à tarde, foram contratados 371 trabalhadores a mais em Sinop, resultado de 2.028 carteiras assinadas e 1.558 mandados embora. No mês de maio, o município sentiu a forte pressão da pandemia e 55 pessoas perderam seus empregos.

Só Notícias constatou que, mês passado, a construção foi o setor que mais gerou empregos. Foram 206 a mais, diferença de 414 admitidos e 208 dispensados. Na sequência, aparece a indústria com 91 vagas geradas a mais, saldo de 357 contratações e 266 demissões.

Já o setor de serviços aparece com 52 vagas abertas a mais, saldo de 528 contratações e 476 demissões. A agropecuária também gerou mais empregos. Foram 35 a mais, saldo de 67 trabalhadores admitidos e 32 demitidos.

Por outro lado, o comércio, que teve o horário reduzido de atendimento com o toque de recolher entre 22h e 5h, fechou mais postos de trabalho. Foram 11 vagas, resultado de 676 demissões e 663 contratações no período.

Conforme Só Notícias já informou, em todo o Estado foram geradas 6.790 vagas após reação dos principais setores da economia superando resultados negativos de meses anteriores por conta da pandemia da Covid.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: Maurício Vitorino/assessoria/arquivo)