Economia

Em meio à pandemia, Peixoto de Azevedo demite mais funcionários

O município de Peixoto de Azevedo fechou 7 vagas a mais de empregos no mês passado, resultado de 81 funcionários admitidos por empresas e indústrias de diversos segmento e 88 mandados embora devido ao forte impacto da pandemia do novo Coronavírus, informa a secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Só Notícias constatou que a agropecuária foi o setor o que mais dispensou funcionários. Foram 10 a mais, saldo de 27 demitidos e 17 contratados. A construção civil teve 9 pedreiros e serventes dispensados a mais. Já o comércio mandou embora 3 e o setor de serviços um.

Por outro lado, a indústria teve saldo positivo ao gerar 16 empregos a mais. Foram 24 empregados a mais e 8 desligamentos.

Em Peixoto, o prefeito, Maurício Ferreira de Souza, decretou que todo o comércio feche às 20h30 no município e o toque de recolher inicia às 21h30 e termina às 5h. As exceções são apenas para postos de combustíveis, assistência médica, funerárias, segurança privada, hotelaria, farmácias e advogados no exercício da função. O decreto vai até o dia 18 e faz parte das medidas de enfrentamento ao novo Coronavírus. O município tem 245 casos confirmados da doença (sendo 7 na enfermaria e 2 em UTIs), 136 recuperados e duas mortes.

Conforme Só Notícias já informou,  Sorriso gerou 165 novos postos de trabalho em maio mesmo com os impactos do novo do Coronavírus (Covid-19). Em Nova Mutum foram contratados 148 a mais. Já Sinop teve 50 demissões a mais em maio e em Lucas do Rio Verde foram 115.  Cuiabá teve 664 demissões a mais.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)