Geral

Papa pensou em renunciar em 2000, diz testamento

O papa João Paulo II pensou em renunciar em 2000, “no século que acaba de terminar”, de acordo com trechos do seu testamento espiritual divulgado hoje. O documento, aberto e lido ontem apenas durante a Congregação de Cardeais, começa com a seguinte frase: “Despertem, porque não sabem em que dia nosso Senhor virá”.

“Espero que Ele me ajude a reconhecer até quando devo continuar neste serviço para o qual me chamou em 16 de outubro de 1978”, diz o testamento, em referência ao dia de sua eleição ao Trono de São Pedro.

O documento também afirma que em 1982 o Papa considerou a possibilidade de que seus funerais acontecessem na Polônia, mas em 1985 deixou a decisão nas mãos do Colégio Cardinalício. Ele também solicita no documento que seja sepultado em terra, “e não em um sarcófago”. João Paulo II pediu perdão a todos e que rezassem por ele.

João Paulo II não deixa nada material e pede que sejam queimadas todas as suas anotações particulares.

O documento foi divulgado hoje à imprensa tanto em sua versão original em polonês como em sua tradução para o italiano. O documento tem cerca de 15 páginas, foi escrito em várias fases desde 1979 e seu conteúdo seria de caráter espiritual.