Política

Câmara de Sorriso repassa R$ 1 milhão para combater Coronavírus; Sinop e Lucas do Rio Verde ainda não ajudaram

A câmara municipal de Sorriso confirmou, esta manhã, devolverá para a prefeitura R$ 1 milhão economizados dos repasses mensais do duodécimo para ser utilizado nas ações de prevenção e combate ao Covid-19. O presidente Cláudio Oliveira (PL) explicou que recurso é resultado do princípio da economicidade adotado pelos parlamentares. “Todos nós estamos preocupados com essa pandemia e a forma que encontramos de ajudar é repassando esse valor para a refeitura investir especificamente na compra de medicamentos, equipamentos e demais materiais necessários ”.

O prefeito Ari Lafin (PSDB) afirmou que o valor “será aplicado na saúde e assistência social, em ações de prevenção ao coronavírus. Sabemos que existem famílias cadastradas, mas, sabemos que surgirão novas demandas de ajuda às famílias. Agradeço a câmara”, expôs.

O duodécimo mensal da câmara de Sorriso é R$ 1,1 milhão mensal (ano passado devolveu R$ 2,7 milhões).

Semana passada, a câmara de Nova Mutum repassou para a prefeitura R$ 350 mil da economia em seu duodécimo e estão sendo aplicados em medidas para reforçar a prevenção à doença. O duodécimo mensal da câmara de Mutum é de R$ 600 mil.

A câmara de Sinop, que é a maior do Nortão e que recebe o maior duodécimo mensal, por enquanto não definiu se vai ajudar a prefeitura. A justificativa dada hoje, ao Só Notícias, pelo presidente Remídio Kuntz, é que neste momento, ainda não há definição de devolução do duodécimo para prefeitura. “Temos apenas R$ 400 mil em caixa. Esse recurso, neste momento é para manutenção das despesas da câmara. No entanto, se realmente precisar desse recurso devolveremos sem problemas. Na sessão de segunda-feira, vamos definir com os demais vereadores as questões das emendas impositivas. Vamos fazer um levantamento para saber quanto cada um ainda tem e propor recurso dessa forma para ajudar no combate ao Coronavírus”. O repasse mensal do duodécimo para a câmara sinopense é de aproximadamente R$ 1,2 milhão.

Outra câmara que não definiu se devolverá recursos para ajudar no combate à doença é a de Lucas do Rio Verde. O presidente Dirceu Camilo Cosma, não se manifestou até agora. Mas a assessoria explica que o orçamento é elaborado de forma bem enxuta e boa parte dos recursos já ficam coma prefeitura. Este ano não tem reservas, mas se sobrar algum valor será devolvido”. O repasse mensal que a câmara recebe, da prefeitura, é de R$ 500 mil/mês. No ano o valor representa R$ 6 milhões.

Redação Só Notícias (foto: Reginaldo de Souza/assessoria - atualizada 18:04h)