Política

Senador anuncia mobilização junto a Bolsonaro para duplicar BR-163 no Nortão e diz que concessionária “rouba o povo”

O senador Jayme Campos (DEM) anunciou que será intensificada a mobilização política da bancada federal, junto ao governo, para que seja tomada decisão imediata em relação a concessionária da BR-163 por não ter feito a duplicação de mais de 230 km de Sinop até Nobres. O senador, que recentemente teve divergências com o ministério dos Transportes quanto a medida provisória da concessão de ferrovias mas que construiu acordo com mudanças garantindo também segurança jurídica para a ferrovia estadual Rondonópolis-Lucas, disse que agora o objetivo principal é a duplicação deste trecho.

Ao discursar na solenidade de assinatura do contrato para iniciar a ferrovia, Jayme fez duros ataques a concessionária por ainda não ter feito a obra. “Uma das empreitadas que vou pegar, agora, a unha e a dedo, será a duplicação da BR-163 que demanda do trevo do Lagarto (Várzea Grande) até a cidade de Sinop. Não é possível !. Ali tá instalado ao longo dessa BR, que hoje é considerada a estrada da morte, um verdadeiro caça níquel. Daqui a pouco o pedagiamento ao longo dela vai ser mais caro que o frete que você vai pagar para o transportador”. “É roubar o povo do Mato Grosso”, “daquele cidadão que trabalha, que planta e transporta”.

“Convoco senhores senadores, deputados federais e o governador, vamos ao presidente Bolsonaro, que é um homem decente, que é um homem que tá apoiando, com certeza, aqueles que são honestos e trabalhadores. Tenho que fazer justiça ao presidente Bolsonaro, mesmo diante das dificuldades dos enfrentamentos que têm que fazer, ele tem feito. Lamentavelmente, estamos numa quadra muito ruim, numa pandemia que levou quase 600 mil brasileiros a óbito, que desarrumou toda economia no mundo inteiro. Contudo, está tentando superar essas dificuldades, com criatividade mas acima de tudo com superação e com honestidade”, afirmou.

A OAB Mato Grosso e diversas entidades ligadas ao setor produtivo reforçam, há vários meses, as cobranças para a duplicação ser feita, considerando as centenas de carretas e caminhões que trafegam diariamente e o grande número de acidentes com mortes. Em junho, em Cuiabá, o ministro Tarcisio Freitas, da Infraestrutura, participou da audiência pública, e está sendo encaminhado um Termo de Ajustamento de Conduta que, se consolidado junto a concessionária, as obras devem ser concluídas em 5 anos, com os trabalhos iniciando até março de 2022. À época, o ministro garantiu, sem revelar nomes, que já há uma empresa de Mato Grosso interessada em assumir o controle acionário da BR-163, a partir de setembro, com investimento previsto de R$ 3,2 bilhões, sem impacto no valor atual das tarifas nas praças de pedágio. Se a solução encontrada não for esta, segue-se o rito de caducidade, e um novo leilão deverá ser realizado.

 

Só Notícias (foto: Mayke Toscano)