Política

Reitora renuncia o cargo na Universidade Federal de Mato Grosso

Myrian Thereza De Moura Serra encaminhou, hoje, ao presidente Associação Nacional do Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), João Carlos Salles Pires da Silva, um oficio comunicado sua renúncia ao cargo de reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Ela alegou motivos pessoais e deixará o cargo a partir do dia 2 do próximo mês. O vice dela, Evandro Soares da Silva deve assumir o mandato da universidade, que termina no mês de outubro.

No documento, a professora agradeceu a associação pelo apoio recebido. “Fiz muitos amigos que são essenciais para a vida e para o exercício de nossa função. A partir de agora estarei em outras frentes, sempre em defesa da Educação Superior Autônoma, Pública, Gratuita, Democrática, Laica e Inclusiva”.

Myrian foi eleita em 2016 para administrar a UFMT. Ela obteve 49,37% dos votos do docentes, técnicos administrativos e estudantes da universidade.

Em dezembro de 2016, ela sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) em consequência de um aneurisma cerebral prontamente embolizado, em um evento em comemoração aos 46 anos da instituição. Myrian estava no Teatro Universitário quando passou mal.

Após os primeiros socorros recebidos de médicos presentes no local e das equipes do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), ela foi levada para um hospital particular, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por 40 dias.

Em agosto do ano passado, a UFMT teve a energia cortada por falta de pagamento. Na época, a reitora justificou que trâmites burocráticos impediram que a conta fosse quitada a tempo de evitar a suspensão no fornecimento.

Por conta disso, ela foi duramente criticada pelo ministro da Educação Abraham Weintraub. Ele apontou que as dificuldades na UFMT foram por má gestão da reitora afirmando que quando houve o corte de energia, havia um ano e meio de conta atrasada.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: Só Notícias/arquivo - atualizada às 15h58)