Política

Aumento de casos de Covid-19 gera ‘desconforto’ diz secretário em debate com presidente do TCE

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo disse, há pouco, na transmissão ao vivo pela internet durante o debate da saúde pública de Mato Grosso com o presidente do Tribunal de Contas de Estado, conselheiro Guilherme Antonio Maluf, que o aumento no número de casos de Coronavírus gera um certo desconforto. Além disso, ressaltou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo governo de Estado para criar novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) para tratamento dos pacientes infectados com a doença.

Ao ser questionado por Maluf se o Estado está preparado para enfrentar o vírus, Figueiredo afirmou que “o país não está preparado e por conseguinte também não estamos. Corremos  contra o relógio para criar a melhor condição possível para esse enfrentamento. Em menos de dois meses nós colocamos nos nossos hospitais com uma rampa de crescimento 100 leitos de UTIs. Ou seja, fizemos uma ampliação da nossa capacidade de atendimento. Mais do que dobrando o que foi nas últimas décadas em leitos de UTIs no Estado”.

O gestor da Saúde também previu que o Estado chegará no próximo mês com 160 novos leitos nos hospitais e nas parceiras que serão feitas. “Com auxílios financeiros que vamos fazer nos hospitais municipais. Vamos chegar com esse número próximo dia 4 de junho. Essa é a nossa expectativa e plano que está em uma planilha encaminhada ao Tribunal de Contas pelo qual queremos fazer uma pactuarão com os municípios de Cuiabá e Várzea Grande propondo uma regulação única de 337 leitos exclusivos para Covid-19 e 826 leitos de enfermaria”.

O presidente do TCE que também é médico comparou a atual estrutura de Mato Grosso com a de outros estados e ressaltou que “teoricamente os leitos de UTIs seriam suficientes para serem ofertados aos mato-grossenses. Muito diferente do que vemos no Amazonas, Maranhão e o Pará. Não estou dizendo isso para ficarmos mais tranquilos, mas as ações que foram implantadas nos dão um ‘colchão’. Acredito que ainda vamos viver essa pandemia por mais alguns meses”.

Maluf criticou os poucos recursos que Mato Grosso tem recebido do governo Federal para ajudar combater o vírus. “Somos o penúltimo Estado. Nós só ganhamos do Pará. Até o dia 19 deste mês, Mato Grosso  recebeu aproximadamente R$ 100 milhões de recursos. Estou dando essa constatação aos nossos representantes em Brasília, que nos ajudar a trazer mais recursos para que o governo e as prefeituras possam fazer esses enfrentamentos. Essa crise não é tão passageira. Penso que ainda não estamos vivendo o pico dela. Acho que vamos viver essa crise até o final do ano. O governo Federal nos colou lá em baixo. Desses R$ 100 milhões, a cidade de Cuiabá foi a que recebeu o maior valor. Cerca de R$ 26 milhões e nós vamos acompanhar nisso”.

Ontem, governador Mauro Mendes, anunciou, a criação de mais 60 Unidades de Terapia Intensiva para atender casos de coronavírus, em Confresa, Água Boa, Tangará da Serra e Barra do Garças. Peixoto de Azevedo, conforme Só Notícias já informou, também está inserido e terá 10 unidades.

A secretaria de Estado de Saúde divulgou, ontem, a notificação de 85 novos casos de Coronavírus em Mato Grosso chegando aos 1.090, sendo que 581 deles estão em isolamento domiciliar e 388 estão recuperados. Há ainda 89 pacientes hospitalizados, sendo 48 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 41 em enfermaria. Desde o início da pandemia até agora, são 32 óbitos em decorrência do vírus.

Só Notícias/Cleber Romero (fotos: reprodução)