Economia

Nova Mutum volta a demitir mais trabalhadores e agropecuária lidera

O município de Nova Mutum voltou a ter saldo negativo na geração de empregos ao encerra 11 vagas a mais, no mês passado. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram mandados embora 713 trabalhadores que estavam com carteiras assinada e contratados 702. Em junho foram abertos 344 postos de trabalhos.

A agropecuária liderou as demissões de trabalhadores. Foram 45 vagas fechadas. resultado de 181 funcionários demitidos 135 contratado (diferente de  junho quando o setor gerou 174 vagas). O segundo pior resultado foi do comércio com 19 vagas encerradas a mais, saldo de 162 demissões e 143 admissões.

A  indústria de transformação também teve um desempenho ruim ao fechar 4 vagas a mais, saldo de 120 desligamentos e 116 admissões. Já o extrativismo mineral mandou uma pessoa embora.

Por outro lado, Só Notícias constatou que o comércio gerou 30 vagas a mais, saldo de 223 admissões e 193 demissões. A construção civil também abriu novas vagas de empregos. Foram 27 a mais, saldo de 83 contratos assinados e 56 finalizados. A indústria de utilidade pública abriu duas novas vagas.

Com esse resultado, Nova Mutum abriu, de janeiro a julho, 471 empregos a mais, resultando em 5.415 admissões e 4.944 desligamentos feitos por empresas e indústrias de todos os segmentos. Em 12 meses, foram criados 448 postos de trabalho.

Conforme Só Notícias já informou, o município de Lucas do Rio Verde gerou pelo terceiro mês consecutivo mais vagas de empregos. Foram 220  novas contratações.

Sorriso gerou no mês passado, 174 vagas de empregos com carteiras assinadas.Sinop também teve novo saldo positivo ao gerar 302 vagas formais a mais de empregos. 

Já a capital de Mato Grosso voltou a ter saldo negativo no setor de empregos.Foram fechadas 67 vagas a mais, resultado de 6.851 demissões e 6.784 contratações.

Em todo o Estado, mês passado, as empresas e indústrias de todos os segmentos comerciais geraram 4.169 vagas a mais.

 

Só Notícias/Cleber Romero (foto: assessoria/arquivo)