Economia

Cuiabá volta demitir mais trabalhadores com carteiras assinadas; serviços lideram

A capital de Mato Grosso voltou a ter saldo negativo no setor de empregos. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na sexta-feira, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, em julho, as empresas e indústrias demitiram  67 funcionários a mais, resultado de 6.851 demissões e 6.784 contratações. Em junho, Cuiabá teve saldo positivo gerando 287 vagas a mais.

No mês passado, o setor que mais demitiu trabalhadores com carteiras assinadas foi o de serviços com 197 dispensados a mais, resultado de 3.511 demitidos e 3.314 contratados. Os serviços industriais de utilidade pública encerraram 40  vagas ao  83 mandados embora e 43 admitidos.

O comércio foi responsável pelo terceiro pior desempenho, em julho. Só Notícias constatou que foram fechados  30 postos de trabalho, saldo de 2.066 que começaram a trabalhar e 2.036 dispensados. A indústria de transformação fechou 22 vagas a mais, agropecuária 19 e administração pública e uma vaga.

No mês passado, a construção civil foi a que teve o melhor desempenho e criou 241 vagas a mais, resultado de 857 serventes e pedreiros contratados e 616 mandados embora. Já o extrativismo mineral contratou uma pessoa.

Com resultado negativo, as empresas e indústrias de todos os segmentos comercias de Cuiabá geraram 2.521 novas vagas com carteiras assinadas em 12 meses, saldo de 82.113 contratações e 79.592 demissões. De janeiro a julho, 48.454 pessoas foram contratadas e 47.237 mandados embora gerando saldo de 1.217 vagas.

Em todo o Estado, mês passado, as empresas e indústrias de todos os segmentos comerciais geraram 4.169 vagas a mais, resultado de 36.985 trabalhadores contratados e 32.816 demitidos o que representa o 4º mês seguido gerando mais empregos. Em junho, e resultado foi melhor com 7.367 vagas criadas a mais.

 

Só Notícias/Cleber Romero