Saúde

Várzea Grande define plano de combate a dengue, zika e chikungunya; secretário aponta possibilidade de epidemia

A operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue” será deflagrada, neste final de semana, e vai colocar todas as unidades de saúde em plantão extra no dia a dia. Já nos finais de semana, duas policlínicas serão abertas para atender a população, além da UPA IPASE e do Hospital e Pronto Socorro que são aquelas que já funcionam 24 horas todos os dias.

A prefeita Lucimar Sacre de Campos admitiu a possibilidade de convocação do Exército e das forças policiais para auxiliar na fiscalização e punição de proprietários de terrenos baldios ou de residências sem o correto uso de piscinas e caixas d’água no chão e que se transformam em foco de proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

Todo este esforço está se somando a outras medidas já adotadas como de limpeza de córregos, retiradas de bolsões de lixo acumulado, notificação de proprietários de terrenos baldios entre outras medidas para minimizar as doenças decorrentes do mosquito Aedes Aegypti como a Dengue, Zika Vírus e mais recentemente a Febre Chikungunya que já tem números considerados de casos notificados no município de Várzea Grande.

A saúde de Várzea Grande já foi notificada no prazo de primeiro de janeiro a 17 deste mesmo mês de 2018, 644 casos de Dengue, 27 de Zika Vírus e 1.866 casos de febre Chikungunya. “A Chikungunya é uma novidade para a população de Várzea Grande por isso o alto índice de infestação que tende a proliferar ainda mais na época das chuvas”, disse o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes.

Ele lembrou que mesmo sendo contabilizado um expressivo número de casos de Chikunguniya, ainda não se pode falar em surto ou mesmo epidemia. Diógenes Marcondes frisou que todo o aparato necessário será utilizado para combater a doença, mas que a população tem que fazer sua parte.

Nas unidades de saúde, quando os pacientes se apresentam com sintomas, já estão imediatamente recebendo soro para reidratação. “Todos são importantes e fundamentais nesta ação para debelar o mosquito causador destas enfermidades, sendo que já está comprovado o poder de mobilização da administração pública somada à conscientização da população permitirá um rigoroso controle e principalmente o combate ao agente transmissor e o tratamento dos doentes”, disse o titular.

As duas unidades da rede pública de saúde de Várzea Grande que ficarão abertas para atendimento exclusivo aos pacientes com suspeita de dengue, febre Chikungunya e Zika Vírus são as Policlínicas do Cristo Rei e do Jardim Marajoara, onde foi notificado o maior número de pessoas contaminadas.

“Dentro da rotina, o Hospital e Pronto Socorro e a UPA IPASE já funcionam 24 horas todos os dias, agora eles ganham o reforço das Policlínicas do Cristo Rei e do Jardim Marajoará, sendo essas duas no horário das 7 hs às 17hs”, explicou Diógenes Marcondes.

A medida foi adotada pela Prefeitura de Várzea Grande seguindo o Plano Municipal de Contingência das doenças e devido ao elevado número de notificações dessas doenças na cidade, principalmente para os casos de Chikungunya.

Outra medida de reforço da ação foi o de melhorar o fluxo de atendimento ao paciente com suspeita de Chikungunya e dengue, e colocar mais 14 unidades entre PSFs, Centros de Saúde, além das Policlínicas para atendimento em horário normal de expediente, de segunda à sexta das 7h as 17h, para avaliação, triagem, hidratação oral e venosa. Já a coleta de sangue, será feita em todas as unidades, cujo resultado, sai em um prazo de até duas horas, dependendo do volume de pedidos.

“Portanto, caso um munícipe esteja com suspeita de alguma dessas doenças, dê preferência as unidades de saúde que são portas de entrada aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), mais próximo de suas residências, seguindo este novo fluxo de atendimento, podendo também procurar a Unidade de Pronto Atendimento UPA IPASE e Hospital e Pronto Socorro. Somente as unidades de portas abertas 24 horas estavam atendendo os casos suspeitos, agora com o reforço, toda a Rede Pública de Saúde está organizada para os atendimentos. Foi estabelecido o protocolo clínico e diretrizes das doenças, por meio da classificação de risco. A saúde pública está em alerta para a epidemia e preparada para atender”, disse o secretário.

Diógenes Marcondes explica que o plano municipal de contingência contra Dengue, Chikungunya e Zika Vírus foi elaborado pela equipe da Vigilância em Saúde, sendo uma ferramenta de planejamento, na qual são apontadas as ações que devem ser realizadas pela equipe de saúde municipal, durante possíveis epidemias das doenças.

No fechamento dos dados do ano de 2017, foram registrados 2.311 casos de dengue, 408 notificações para o Zika Vírus, Febre Chikungunya, com 2.331 casos, informa a assessoria.