Saúde

Sinop: prefeitura retoma serviços odontológicos nas unidades de Saúde com redução da Covid

A secretaria municipal de Saúde informou, há pouco, que os serviços relacionados à saúde estão sendo retomados gradativamente nas unidades básicas de saúde com a redução dos casos de Covid. Entre eles está a oferta dos atendimentos odontológicos, de urgência e emergência e eletivos. Uma cartilha para as equipes foi montada para direcionar os atendimentos, que ocorrem de segunda à sexta-feiras.

Conforme o documento, devem ser priorizados os atendimentos de urgência e emergência. Devem, também, ser retomados os atendimentos de pacientes que já estavam em tratamento e que, porventura, podem ter seu quadro agravado pelo tempo de espera para retorno normal das atividades.

Os serviços odontológicos são das 7h às 11h e das 13h às 17h nas unidades do Botânico, Boa Esperança, Gente Feliz, Primaveras, Eduardo Gabriel Crivelaro (Jardim das Nações), Joacir Rodrigues (Vitória Régia), São Cristóvão, Ruy Fernando Barbosa (Cidade Jardim), Manoel Lauretino dos Santos (Alto da Glória), além da Sabrina com duas equipes e Sebastião de Matos com outras duas até às 19h.

Para os usuários das unidades José Ramos Pereira (Maria Vindilina II) e Ibirapuera, os atendimentos estão sendo realizados, temporariamente, no prédio do Centro de Especialidades Odontológicas, localizado na rua das Castanheiras, esquina com a rua das Azaléias, Setor Comercial, das 7h às 13h.

Para os munícipes onde a UBS de referência não realiza atendimentos odontológicos, a orientação da Secretaria de Saúde ao usuário é procurar alguma outra unidade de saúde mais próxima para atendimento emergencial.

Já nos casos de atendimento de rotina, o serviço é ofertado no Centro Odontológico de Referência, lotado no mesmo prédio do Centro de Especialidades Odontológicas das 7h às 13h.

Atualmente, Sinop registra 25,6 mil casos confirmados da doença. Desse , 24,9 mil se recuperaram, 257 se encontram em isolamento domiciliar e 15 internados. De março do ano passado até agora, quando começou à pandemia,  444 pessoas morreram.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)