Saúde

Secretaria faz orientações para evitar desidratações devido a baixa umidade do ar

Em busca da melhoria da qualidade de vida dos usuários do Sistema Único de Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde vem fazer um alertar a toda população mato-grossense sobre os danos causados à saúde com a baixa umidade relativa do ar.

De acordo com dados da Defesa Civil do Estado, a última medida divulgada no boletim oficial referente à umidade relativa do ar foi de 24% quando a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que seja de 60%. Os
problemas que decorrem com a baixa umidade relativa do ar são: complicações respiratórias, sangramentos nasais, irritação dos olhos, ressecamento da pele
e aumento potencial das queimadas.

Com isso, o coordenador de atendimento a acidentes ambientais da Defesa civil, Major Cunha, a população deve tomar alguns cuidados necessários para se evitar
a desidratação ingerindo muito líquido, evitar ambientes fechados e com grande concentração de pessoas. “Devemos atentar principalmente às crianças e idosos que são mais propensos e por ter uma imunidade mais baixa em relação às
outras pessoas”, disse o coordenador.

Devido a esse baixo índice de umidade, a Defesa Civil do Estado está decidindo a suspensão das aulas nas escolas de Mato Grosso. Estão sendo observados os índices relativos a umidade do ar se chega a menos de 12%, índice
caracterizado como situação de emergência. “As escolas públicas e particulares já foram comunicadas sobre a necessidade de cancelar qualquer tipo de
atividade física”, esclareceu Major Cunha.

Dentre as providências a serem tomadas em situação de emergência é a determinação e a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre as 10 e
16h, como coleta de lixo e entrega de correspondência . As atividades que aglomeram grande número de pessoas em recintos fechados como aulas e sessões
de cinema também devem ser suspensas durante esse período de observação das taxas relativas ao ar.

A explicação para tamanha aridez seria a entrada de uma corrente de ar seco, vinda do Sul do País, em direção ao Centro Oeste. Dados do Instituto Nacional
de Meteorologia (Inmet), indicam que nos próximos dias as condições climáticas e temporais tendem a piorar.

DICAS E SAÚDE- Como auxílio a toda população são recomendados durante esse
período crítico de baixa umidade relativa do ar que não se tome banhos
prolongados com água quente e o uso excessivo de sabonete para não eliminar
totalmente a oleosidade natural da pele.

Entre as medidas práticas estão: evitar o uso contínuo do ar condicionado,
fazer refeições leves, trajar roupas de algodão, além de manter toalhas
molhadas e bacias com água nos quartos durante o dia. Sempre que possível
permanecer em locais protegidos do sol e aumentar a ingestão de líquidos.