Saúde

Ações de Saúde em Sinop fortalecem a interiorização

O governador Blairo Maggi e o secretário de Estado de Saúde, Augustinho Moro, reinauguram nesta sexta-feira, no município de Sinop, uma Unidade de Coleta de Sangue
(UCT) e assinam um convenio com o Hospital Municipal para a manutenção de leito de estabilização. “Essas ações em Saúde requerem poucos investimentos do Estado, porém o valor desses serviços contribui para salvar vidas. Um banco de sangue no município o torna auto-suficiente no serviço de hemoterapia atendendo a clientela do município e região, significando a descentralização dos serviços da distribuição de sangue por parte do MT Hemocentro, que tem a missão de gerir o estoque de sangue para suprir a
demanda de todo o Estado”, disse o secretário Augustinho Moro.

A obra para a construção da unidade de coleta de sangue foi orçada em R$ 183.181,22 e pelo convênio para a manutenção do leito de estabilização o município receberá do Fundo Estadual de Saúde R$ 252.000,00 ao ano.

No governo Blairo Maggi o município de Sinop vem ganhando destaque com os investimentos nos serviços abertos na área de Saúde. De acordo com os dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (SIAF) a Saúde já repassou ao
município de Sinop nos anos 2003, 2004 e agosto de 2005 R$ 3,1 milhões na melhoria e no fortalecimento do Sistema Único de Saúde.

Foram repassados no período, através do Programa de Apoio aos Consórcios Intermunicipais de Saúde (PACIS), R$ 200.838,47 ao passo que, para investimento no Programa Saúde da Família (PSF), o município recebeu investimentos da ordem de R$ 1.951.300,00. Como investimento na aquisição de equipamentos, Sinop recebeu, de 2003 a 2005,
R$ 137.940,19. Na execução de convênios, inclusive de obras, foram investidos no município recursos de R$ 249.088,63. E o programa de Microrregionalização
da Saúde destinou R$ 210.000,00 para serem investidos em Sinop, no mesmo período.

O programa Vigilância no Sistema Único de Saúde (VIGISUS)
possibilitou o investimento de R$ 137.940,19 no município.
As Portarias 128 e 137 também são ótimos instrumentos que permitem o oferecimento de serviços de Saúde em municípios como Sinop. Lá o Estado realizou o investimento de R$ 376.559,64 junto à Clínica de Tratamento Renal
num convênio de custeio para atendimento das necessidades do município. No atendimento aos pacientes portadores do câncer, a Secretaria de Estado de Saúde também realiza convênio de custeio para que o Hospital Santo Antonio, da
iniciativa privada, mas com vocação para a filantropia, possa fornecer o atendimento em oncologia.

O superintendente de Atenção Básica em Saúde, Victor Rodrigues, disse que as Portarias 128 e 137 são instrumentos de barateamento do custo de serviços
oferecidos ao Estado. “Se fôssemos contratar hospitais particulares para cuidar dos pacientes que precisam de cuidados oncológicos e renal pagaríamos preços muito além do que pagamos nos convênios de custeio. Com essas portarias podemos investir um valor justo pelo serviço e conseguir melhor resolutividade no atendimento”, afirmou.

O custeio permitido pelas Portarias 128 e 137 continuará até que a clínica e o hospital possam ser credenciados pelo SUS, projeto no qual a Secretaria de Estado de Saúde está empenhada. Assim que os estabelecimentos de Saúde
receberem o credenciamento do Ministério o Estado não mais terá necessidade de custear os serviços e os recursos poderão, então, ser investidos em outras áreas da Saúde.