Saúde

Saúde de Sinop Sinop registra aumento nos casos de catapora

A população sinopense tem estado preocupada com a ocorrência de aumento de casos de catapora registrada pela Secretaria Municipal de Saúde. Em apenas 8 meses do ano de 2005, foi registrado um aumento de cerca de 100% no número de casos notificados em relação ao ano passado, ou seja, durante os 12 meses de 2004, 10 casos foram notificados pela secretaria e neste ano já foram 26.

Do total, um foi no mês de fevereiro, um em março, dois em junho, 3 em julho e 14 em agosto. O que significa que de julho a agosto o índice apresentou crescimento de 466%. Nos meses de abril e maio de 2005, nenhum caso foi registrado e em apenas 15 dias deste mês, foram 5 casos notificados.

Só Notícias apurou que além de crianças, que é a faixa etária do grupo de risco, jovens e adultos estão sendo infectados pela doença. “Como a catapora é muito contagiosa e geralmente o período de transmissão se dá antes da erupção das lesões, a maior parte dos doentes são crianças e adolescentes, pois estes indivíduos freqüentam escolas, que são locais de grande circulação de pessoas”, disse, ao Só Notícias, a enfermeira responsável pelo Departamento Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde de Sinop, Sandra Regina de Oliveira.

Segundo ela, sempre existe uma época do ano em que o número de casos notificados pela secretaria, aqueles em que o paciente procura uma unidade de saúde, aumentam e, por isso, a secretaria realiza trabalhos de esclarecimento sobre a doença.

“Todas as nossas equipes dos PSFs [Postos de Saúde da Família] realizam esse trabalho de orientação escola por escola. São dadas palestras sobre como cuidar das lesões e como curar a doença, uma vez que não existe vacina no sistema público de saúde”, reforça.

A doença
Também conhecida como varicela, a catapora é uma doença comum em crianças e cerca de 60 milhões de pessoas contraem catapora todos os anos. Causada por um vírus que é transmitido com muita facilidade de uma pessoa para a outra, pode ter sintomas graves e levar a óbito.

Seus sintomas são cansaço, cefaléia, erupção cutânea, febre (temperaturas de até 40,6o C) e perda de apetite. A erupção começa no tronco, espalhando-se rapidamente para o rosto, braços e pernas. Pode, ainda, atingir a parte interna da boca, nariz, orelhas e outros orifícios do corpo. Ela forma cerca de 250 a 500 vesículas pruriginosas, que começam a cicatrizar em aproximadamente 4 ou 5 dias.

Os problemas mais graves são a infecção cutânea, que pode resultar em cicatrizes permanentes, edema cerebral, perda de coordenação muscular, pneumonia, infecção de ouvido, herpes zoster (erupção cutânea dolorosa, que pode ocorrer anos mais tarde) e Síndrome de Reye (doença rara, que pode surgir em decorrência do uso de aspirina durante a infecção da catapora, entre os sintomas incluem-se náusea, vômito, cefaléia, cansaço e convulsões).

Sua transmissão se dá pelo ar, quando uma pessoa infectada tosse ou espirra, pelo contato direto com uma pessoa infectada, geralmente através da secreção das vesículas e antes de as pessoas infectadas apresentarem erupção ou saberem que estão com catapora. A vacina é o único meio de prevenção, mas ela imuniza a pessoa em apenas 90%. Se alguém que tiver sido vacinado contrair catapora, a doença geralmente vai se manifestar de forma mais amena, com poucas vesículas, febre mais baixa e recuperação mais rápida.

Crianças sadias de um a 12 anos de idade devem receber uma dose da vacina e indivíduos a partir dos 13 anos de idade devem receber duas doses da vacina, separados por um intervalo de 4 a 8 semanas. A cura deve ser a base de repouso e medicamentos solicitados por um médico.

Em Sinop, apenas uma clínica realiza aplicação da vacina. Esta custa R$ 150, sendo indicada apenas para pessoas acima de um ano de idade.