Saúde

Hospital de Nova Mutum passa a oferecer atendimento particular

A Fundação Hospitalar de Nova Mutum está oferecendo mais uma opção de atendimento para seus pacientes desde o início desta semana. Tratam-se de apartamentos particulares. A mudança foi possível graças a algumas adequações feitas na referida unidade de saúde. Agora, além dos 31 leitos que continuam destinados com exclusividade para o SUS – Sistema Único de Saúde, mais 05 apartamento foram colocados à disposição de quem busca um serviço diferenciado.

De acordo com Cezar Balan, presidente da Fundação, a cobrança tem o aval da Promotoria Pública, pois atende os princípios da legalidade. Anteriormente o que impossibilitava a cobrança era justamente o fato de todos os leitos estarem credenciados para o SUS. “Com as mudanças os pacientes podem inclusive se internar fazendo uso de planos de saúde”, explica. A tabela de preços praticada foi feita com base em demais hospitais da região.

Cezar reforça que o atendimento continua sendo o mesmo para todas as pessoas que buscam a Fundação. Só vai pagar quem quer um serviço diferenciado. “A opção será do paciente”, disse. Quem é encaminhado pelos PSFs continua sendo atendido de graça, assim como aquelas pessoas que procuram diretamente o hospital em casos de emergência. A cobrança será feita de quem optar pelo serviço diferenciado. O presidente destacou que o número de pessoas que já tem buscado a nova modalidade tem surpreendido a equipe, o que comprova existir demanda neste sentido.

Outra mudança diz respeito à razão social do hospital. O mesmo vai ganhar em breve o status de organização social e passará a se chamar Fundação Mutuense de Saúde – Hospital Albert Sabin. Os documentos estão em fase de registro. Com isso a entidade poderá buscar outras fontes de recurso e parcerias para a sua manutenção, não dependendo exclusivamente da Prefeitura Municipal, como acontece hoje.

Segundo o secretário municipal de Saúde de Nova Mutum, João Batista, a Prefeitura vai continuar fazendo os repasses mensais para a Fundação, que hoje são na ordem de 190 mil reais. “O que muda realmente é o fato de que com o atendimento particular e posteriormente com novas parcerias, vai entrar mais recursos para novos investimentos. O hospital necessita de um incremento de receita para ampliações, readequações e aquisição de novos equipamentos, mas isso não pode recair somente sobre a prefeitura, como vinha acontecendo”, falou.

Mauro Manjabosco, diretor administrativo da Fundação destacou também que os investimentos que serão feitos no hospital vão beneficiar todos os pacientes, inclusive os atendidos pelo SUS, ou seja, não vai haver qualquer tipo de descriminação. Os planos de saúde que já podem ser utilizados para atendimento são: Unimed, Cassi, Sesi Vida e Bradesco. A partir de agora o hospital também será ressarcido através do DPVAT – Seguro Obrigatório, no caso do atendimento de vítimas de qualquer acidente automobilístico.