Política

Taques diz que ‘apanhou muito’ em 3 anos e que perdeu apoio por não aceitar interferências

O governador Pedro Taques (PSDB) reclamou, hoje, dos ataques que tem sofrido, classificando-os de “maldade”, e demonstrando que tem se sentido perseguido. “Infelizmente, algumas pessoas estão acostumadas com maldade. Existem milhares de fakes [news] e memes contra mim e eu tenho certeza de que nós não estamos fazendo esses memes para me atacar. Mas estou muito tranquilo em relação a isso porque o cidadão sabe diferenciar baixaria de verdade”, queixou-se, acrescentando que pretende enfrentar a campanha com propostas:

“Eu não estou preocupado em responder a quem quer que seja. Eu sou atacado todos os dias. Não há um cidadão em Mato Grosso que apanhou mais em três anos e meio. Eu apanhei muito e estou com o couro grosso. [Enfrentei] rejeições, aí melhora, crises de todas as formas … e estou aqui. Sou um sobrevivente, como o cidadão mais simples”, disse, em entrevista na Joven Pan.

Sobre os adversários, que Taques denomina como “o lado de lá” e que conta com ex-aliados como Mendes, Fávaro e Pivetta, o governador evitou fazer críticas diretas e usou de ironia para dizer que perdeu os apoios por não ceder a pressões de quem queria interferir em sua administração. “Eu mudei ou os outros mudaram? Eu sou o mesmo. As pessoas sabem que eu sou cara feia, as pessoas sabem que eu converso, converso, converso, mas na hora de decidir sou eu quem tem que decidir. Eu fui eleito governador do Estado de Mato Grosso”, disse.

Taques reconheceu que, se for para a reeleição, vai enfrentar um grupo forte que conta com partidos que têm experiência na gestão estadual e base forte em todos os municípios mato-grossenses. “Eu entendo que vai ficar um grupo muito forte, isso é fato, com capilaridade. Esta avaliação o cidadão vai ter que fazer lá na frente. Porque todos contra Taques? O que eu fiz de errado? Isso vai ter que ser dito, né?”, concluiu.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: Só Notícias/Diego Oliveira/arquivo)