Política

Sinop: Taques decreta situação de emergência em MT por causa do desabastecimento causado por bloqueio de cargas

O governador Pedro Taques decretou, hoje, em Sinop, onde cumpre agenda com lançamento de obras e na Caravana da Transformação, situação de emergência em Mato Grosso devido à paralisação dos caminhoneiros que não estão transportando combustíveis, gás, comida e centenas de outros produtos há 6 dias e, consequentemente, causou desabastecimento em dezenas de cidades mato-grossenses. O decreto prevê ações do governo para evitar situações que possam comprometer a oferta da prestação de serviços considerados essenciais à população, como nas áreas de saúde e segurança pública, autorizando a adoção de algumas medidas para assegurar a prestação de serviços essenciais, como a alocação de recursos orçamentários para custear ações emergenciais e até a utilização de forças de segurança para garantir a livre circulação dos meios de transporte para a distribuição de alimentos e combustíveis.

O governo aponta que a falta de combustível também tem gerado falta de insumos nos hospitais. Até o momento, no entanto, não houve interrupção de serviços essenciais como de policiamento ostensivo e também de atendimento via Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), informa o Gabinete de Comunicação.

Neste domingo, em reunião do comitê, o governador suspendeu expediente na maioria dos órgãos públicos estaduais e não haverá aulas nesta segunda-feira.

O decreto autoriza ainda a utilização das forças de segurança do Estado, em cooperação com as Forças Armadas e Polícia Rodoviária Federal, para a escolta de veículos transportadores de combustíveis, gás e outros produtos e gêneros de primeira necessidade. Autoriza também que os agentes de segurança assumam a condução dos veículos em caso de recusa dos transportadores.

O Gabinete de Comunicação além disso, os órgãos e entidades da administração pública deverão racionar o uso de insumos em suas respectivas áreas para preservar a continuidade de seus serviços essenciais.

O decreto também cria o Comitê de Gestão de Crise no Gabinete de Governo, chefiado pelo governador Pedro Taques. Caberá a esse Comitê “propor e adotar todas as medidas preventivas ou reparadoras, administrativas e judiciais, visando à manutenção dos serviços públicos essenciais à população do Estado de Mato Grosso”, monitorar o abastecimento de bens, produtos e gêneros de primeira necessidade, além da operação de serviços essenciais e propor, se for o caso, a decretação de estado de calamidade pública ou a revogação do estado de emergência.

Taques deve mudar sua agenda neste final de semana em Sinop, onde é realizada a Caravana da Transformação, e retornar a Cuiabá neste domingo. Estava prevista a permanência dele em Sinop até segunda-feira.

Hoje, em Mato Grosso, foram mais de 30 trechos com bloqueios na BR-163 em Sinop, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Guarantã do Norte. Também houve bloqueios na BR-364 em Cuiabá sentido Sul, em Rondonópolis, na região de Barra do Garças dentre outros trechos.

Conforme Só Notícias já informou, a Polícia Rodoviária Federal escoltou, esta madrugada, uma carga de 44 mil litros de combustível para aviação do município de Rondonópolis, até o aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, para evitar que os voos fossem prejudicados durante a manifestação dos caminhoneiros, que pelo sexto dia mantém bloqueios impedindo a passagem de caminhões em 30 pontos em Mato Grosso e em outros Estados.

O aeroporto em Sinop, o que tem maior movimento de passageiros no Nortão, estaria com pequeno estoque de combustível. A companhia aérea que opera em Sinop suspendeu dois voos 4166 (Cuiabá-Sinop) e o 5717 (Sinop-Cuiabá). Neste domingo foram cancelados mais dois voos. Não foi informado como fica a situação desta segunda-feira.

(Atualizada às 16:31h em 27/5)