Política

PT ajuda oposição na representação para derrubar presidente da câmara

O líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), disse hoje que o partido assinará uma eventual representação contra o presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP-PE), no Conselho de Ética. Fontana alertou, no entanto, que a medida pode significar uma paralisação de 60 dias ou 90 dias dos trabalhos da Câmara.

Com isso já somam seis os partidos que querem pedir ao Conselho de Ética uma investigação das denúncias de que Severino Cavalcanti teria recebido propina. Assinarão o documento também PSDB, PFL, PPS, PV e PDT. A decisão do PT, que resistia em tomar uma posição, acontece um dia depois de Severino ter afirmado que conta com o apoio do governo para continuar no cargo.

Henrique Fontana observou, entretanto, que não é a representação que irá resolver o impasse que vive hoje o Legislativo, insinuando que o melhor seria o afastamento de Severino do comando da Casa. “Estão dando uma importância demasiada à representação”, disse.

“Estamos diante de uma situação gravíssima no Parlamento e podemos, inclusive, criar uma crise institucional. A Câmara Federal paralisada é algo que não interessa a ninguém no Brasil. É preciso que todos contribuam para encontrar medidas que atendam à média das posições para que possamos sair de qualquer paralisa”, afirmou Henrique Fontana.

O deputado gaúcho disse que não adianta pensar em questões temporárias em respeito à constitucionalidade. Segundo ele, o PT vai votar em plenário se Severino estiver presidindo ou não a sessão, por entender que há matérias importantes a serem definidas. “Estamos tratando de uma questão institucional. O PT vai a plenário todos os dias. Queremos votar a cassação do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), queremos votar a reforma política”, completou