Política

Prefeitura de Nova Mutum e Perdigão assinaram protocolo de intenções

Foi assinado hoje, às 11h, durante reunião no gabinete do prefeito Adriano Xavier Pivetta, um Protocolo de Intenções entre a Prefeitura Municipal de Nova Mutum e a Perdigão Agroindustrial S/A. No documento, que seguirá agora em forma de projeto de lei para a Câmara de Vereadores, estão expressos compromissos assumidos no sentido de facilitar os investimentos propostos pela empresa, que há duas semanas adquiriu as instalações do frigorífico de aves Mary Loise, com sede no município. A idéia é transformar a indústria local em uma base para exportação.

De acordo com o documento assinado, o município se compromete em doar para Perdigão, de forma imediata, uma área de terra de 500 hectares, necessária para a ampliação das granjas de matrizes e para o reflorestamento, e até o mês de dezembro uma área de 25 hectares para a construção da sede social da indústria. Além disso, ficou estabelecido que o município fará a doação de 200 lotes urbanos para construção de casas para os funcionários e vai legislar sobre o zoneamento urbano e uso e ocupação do solo nas proximidades do novo parque industrial.

O acordo assinado determina ainda a isenção, dentro dos limites legais, da cobrança de taxas municipais, bem como a providenciar o asfaltamento do pátio interno da unidade industrial. Este último item é tratado com caráter de urgência, já que é aguardada para o dia 07 de julho a visita de uma Missão Russa com interesse na importação de carne de frango. O incentivo na terraplanagem para construção de aviário também deverá ter continuidade e a administração se comprometeu, entre outras questões legais, em gerir junto ao Estado o asfaltamento do trecho que liga a BR163 até a unidade.

A contrapartida da Perdigão está nos investimentos que serão feitos no município. Com a conclusão da segunda fase do projeto, já serão somados 140 milhões de reais em recursos aplicados na indústria e no sistema de integração indústria/produtores. A estimativa é de que sejam gerados mais de 1 mil empregos diretos e 3 mil indiretos. Além disso, a empresa se compromete em zelar pela preservação do meio ambiente em suas áreas de atividade, no sentido de obter certificado de qualidade de nível internacional, respeitando a legislação ambiental.

Outro aspecto importante do Protocolo diz respeito ao apoio que será dado pela Perdigão aos programas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico de entidades universitárias públicas e privadas do Estado, bem como o apoio do desenvolvimento social e cultural de Nova Mutum. Para o prefeito Adriano Pivetta, os resultados desse investimento serão visíveis em um curto espaço de tempo, com uma amplitude muito importante. “Nova Mutum está centralizando investimentos importantes de agregação de valor a matéria-prima e temos que nos preparar para assumir o posto de pólo regional de desenvolvimento”, disse.

Participaram da assinatura do Protocolo o prefeito Adriano Pivetta, os diretores da Perdigão, Nelson Vas Hacklauer – Desenvolvimento de Negócios e Ricardo Menezes – Relações Institucionais, os secretários de Indústria, Comércio e Turismo de Nova Mutum, Valdomir Ottonelli e de Economia e Planejamento, Aurismar Zonatto, o presidente da Câmara de Vereadores, Joaquim Diógenes Jacobsen, o Procurador Geral do município, Eduardo Rafel Buss, o ex-secretário de Estado de Desenvolvimento Rural, Otaviano Pivetta, além de dirigentes da Perdigão.

O investimento

A Perdigão já investiu R$ 40 milhões na aquisição do frigorífico de aves Mary Loise Indústria de Alimentos Ltda e da fábrica de ração, instalados em Nova Mutum e investirá aproximadamente mais R$ 45 milhões para reestruturação dos empreendimentos e ampliação da planta do frigorífico, a 15ª unidade da indústria brasileira.

A unidade tem granja de matrizes, incubatório, fábrica de ração, armazém de grãos e unidade desativadora de soja. Entra no mercado contando com 250 produtores integrados e cerca de 450 funcionários, os quais serão mantidos nos postos de trabalho, conforme Nelson Vas Hacklauer diretor de Desenvolvimento de Negócios da Perdigão. Segundo ele, com a futura ampliação da planta, o número de colaboradores deve dobrar gradativamente.

Ricardo Menezes, diretor de Relações Institucionais, afirma que até o final do ano a Mary Loise estará abatendo 140 mil aves/dia, mais do que a capacidade hoje instalada, de 120 mil aves/dia, e mais do que o dobro da produção atual, de 60 mil aves/dia. “A nossa idéia é transformar essa 15ª unidade em plataforma de exportação”, frisou. O primeiro contrato será fechado com a Rússia, após a aprovação do frigorífico na lista geral, procedimento que permite a comercialização internacional.

A Perdigão tem empreendimentos em Goiás, Distrito Federal, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. No ano passado, a empresa comercializou R$ 5 bilhões em frango, dos quais R$ 2,7 bilhões foram para o mercado externo. Emprega 32 mil funcionários e integra seis mil produtores. Mesmo assim, precisaria de seis mil toneladas de frango para atender toda a demanda.