Política

PMDB está rachado sobre apoio ao governo Lula

Após uma reunião tensa e tumultuada, os deputados do PMDB seguem rachados em relação ao apoio do partido ao governo Lula. A ala oposicionista já trabalha para realizar uma convenção no próximo dia 10 de julho, enquanto os governistas tentam evitar essa saída. Em jogo está a candidatura própria nas eleições de 2006.

O presidente do partido, Michel Temer (PMDB-SP), deverá levar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a notícia de que o governo não terá o apoio de todos os 85 deputados do partido –estavam presentes na reunião de hoje 61 deputados.

Temer disse que irá analisar os pedidos de convenção de uma forma que não agrave a situação do partido. Até agora, 11 diretórios já se manifestaram a favor da convenção. O número mínimo é nove. No entanto, os pedidos precisam estar de acordo com o regimento do partido.

‘A convenção, talvez, só agrave essa situação’, disse.

Em dezembro, o partido realizou uma convenção em que ficou decidido a entrega dos cargos, o que não ocorreu. O PMDB tem dois ministério, o da Previdência, ocupado por Romero Jucá, e o das Comunicações, com Eunício Oliveira.

Já a possibilidade de ter mais dois ministérios –o governo quer ampliar a participação do PMDB em troca de apoio– não é aceita por boa parte dos deputados, que querem candidatura própria para a Presidência da República no próximo ano.

‘Como é que o PMDB pode ter candidato próprio com quatro ministérios?’, questionou Temer.

Essa posição é defendida por Eliseu Padilha (RS). Para ele, com a participação no governo, cai por terra a tese de candidatura própria.

Caso o partido realize a convenção, não está descartado o uso de instrumentos que tenham como finalidade desligar do partido os membros que continuarem no governo.

Ainda hoje, a ala governista deve divulgar uma nota de apoio à governabilidade –o que já foi feito pelos senadores. Uma lista de assinatura circulou hoje entre os deputados da legenda. O líder do partido na Câmara, José Borba (PR), espera que a maior parte dos deputados tenha assinado a lista.