Política

Oposição pede CPI para investigar denúncia de corrupção nos Correios

O presidente do PFL, Jorge Bornhausen (PFL-SC), e o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), pediram nesta segunda-feira a instalação de uma CPI mista para investigar o caso de propina envolvendo os Correios e Telégrafos e o presidente do PTB, Roberto Jefferson (RJ).

“Os parlamentares que se considerarem isentos assinarão essa CPI”, afirmou Bornhausen, na tribuna do Senado. O presidente do partido se reunirá com os líderes da legenda no Congresso Nacional para organizar a estratégia do PFL.

Em outra frente, Virgílio (PSDB-AM) quer uma CPI mista para investigar os Correios e as outras estatais do governo. “A apuração deve ser feita pelo ministério Público e pelo Congresso mediante CPI, até porque o governo Lula admite ter perdido o controle das nomeações políticas que efetuou nestes quase dois anos e meio”, informou o requerimento assinado por Virgílio.

“Não basta o presidente afirmar que o governo Lula está investigando o governo Lula. Nós já vimos essa cena no caso Waldomiro Diniz [ex-assessor do Ministério da Casa Civil, suspeito de envolvimento com propina]”, afirmou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Para compor a CPI, os oposicionistas precisam da assinatura de 27 senadores e 171 deputados.

Denúncia

Jefferson é citado pelo ex-diretor de material dos Correios Maurício Marinho como integrante de um esquema de propina em negociações com empresas fornecedoras da estatal.

Na gravação apresentada pela revista “Veja”, Marinho disse a dois empresários estar agindo em nome de Jefferson (RJ) e do diretor de Administração dos Correios, Antonio Osório Batista, nomeado pelo presidente do PTB.

Amanhã (17), Jefferson promete se defender na tribuna da Câmara dos Deputados das acusações feitas pelo ex-funcionário dos Correios.