Política

Nortão: prefeitos de Alta Floresta e Santa Helena entram no PSD e o de Colíder no PP

Pouco mais de seis meses após a posse, três prefeitos da região Norte de Mato Grosso trocaram de partidos. Os gestores de Alta Floresta, Nova Santa Helena e Colíder assinaram fichas no PSD e no PP, neste final de semana.

Ao Só Notícias, o deputado federal Neri Geller confirmou que o prefeito de Colíder, Hemerson Máximo, o Maninho, assinou a ficha de filiação ao Partido Progressista. Maninho foi eleito no ano passado pelo Patriotas com 5.450 votos e agora tem nova casa.

Pelas redes sociais, o senador Carlos Fávaro, anunciou a filiação do prefeito de Alta Floresta, Chico Gamba (foto), que se elegeu pelo PSDB com 11.739 votos, e do prefeito de Nova Santa Helena, Paulinho Bortolini, que deixou o Solidariedade após se eleger com 1.291 votos.

Fávaro e Geller estiveram nos três municípios, no sábado e ontem, prestigiando as filiações dos prefeitos. Apesar de as filiações serem em dois partidos diferentes, os prefeitos devem caminhar com Geller e Fávaro nas eleições de 2022, já que, segundo o deputado, “os partidos são irmãos”.

No caso do ocupantes de cargos no executivo, a troca de partido não causa prejuízo ao gestor, já que o cargo é da pessoa e não do partido, como no Legislativo. “O maior exemplo é do presidente Jair Bolsonaro, que se desfiliou do PSL e segue sem partido. Os prefeitos podem trocar porque não estamos em ano eleitoral, além do que, o mandato de membro do poder Executivo, ou seja, governador, prefeito e presidente da República, não é do partido, é dele. Diferente do Legislativo, no qual o mandato é partido”, explicou ao Só Notícias o advogado especialista em direito eleitoral, André Albuquerque.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: arquivo/assessoria)