Política

Lideranças de Sinop e Sorriso vão apoiar movimento pró-Bolsonaro em Brasília

O movimento, com expectativa de ocorrer entre os dias 4 e 6 de setembro, em Brasília, em apoio ao presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), cobrando destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e voto impresso deve ter apoio de sindicatos e cooperativas em Sinop e Sorriso, mas as definições de quantas pessoas vão devem começar na próxima semana, após ato em apoio a Ferrogrão, neste sábado, com o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas, às 10 horas, no centro de eventos Dante de Oliveira,

O plenário da Câmara dos Deputados já rejeitou a PEC do Voto Impresso (Proposta de Emenda à Constituição 135/19). Foram 229 votos favoráveis e 218 contrários. Como não foram obtidos os 308 votos favoráveis necessários, o texto foi arquivado.

Os presidentes do Sindicato Rural de Sorriso, Tiago Stefanello, de Sinop Wilson Redivo e da Cooperativa do Caminhoneiros Autônomos de Sinop (Cooperlog), Cleomar José Immich, informaram, ao Só Notícias, que há manifestação de desejo em participar e tudo será definido em reuniões previstas para acontecer dentro de cada grupo.

Cleomar Immich, disse que “ainda não há nada definido. Zé Trovão, em Santa Catarina fez o chamamento e pegou força com Sérgio Reis e o setor artístico. Já há boatos em colocação de ônibus, mas nós não temos estrutura para colocar na estrada. Ainda estamos vendo, tudo depende das conversas. Esse é um movimento da população e se nada acontecer os caminhoneiros vão ir parando e, na sequência, para o país. A população tem que estar conosco lutando por nosso país”, defendeu.

Já o presidente do Sindicato Rural de Sinop, Ilson Redivo, expôs que já há uma organização e vai se dedicar, exclusivamente, a partir da próxima semana. “Estamos apoiando esse governo e vamos nos mexer sim. O STF julga, sentencia e faz o que quer. Vamos liderar esse movimento que é da população”, garantiu.

O presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Tiago Stefanello disse que já está sendo cobrado por produtores e ainda deve haver reunião para tomar decisão sobre o movimento. “O apoio é uma opção de cada um e o que o produtor querer, nós apoiaremos”.

Em maio, já houve mobilização de representantes de entidades, em Brasília, no “Movimento Brasil Verde e Amarelo”, em apoio ao desenvolvimento do país e ao presidente Jair Bolsonaro. 

O presidente vai a Cuiabá, nesta quinta-feira de manhã, e participa em um hotel do seminário regional ‘Etnodesenvolvimento e Sustentabilidade Centro-Oeste’. Em seguida, ele irá a uma aldeia indígena na região Parecis, local ainda não divulgado e deve retornar, à tarde, para Brasília.

Só Notícias/David Murba (fotos: divulgação/ arquivo - atualizada 14:45h)