Política

Canceladas festas de réveillon e carnaval em Cuiabá e prefeito quer instaurar “passaporte” da vacina

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, confirmou hoje cancelamento das festas públicas e privadas alusivas ao réveillon e ao carnaval, devido ao surgimento da nova variante do Coronavírus (Ômicron). Ele declarou também que decretará o passaporte da vacina, em Cuiabá, devido ao fato de ainda haver mais de 18 mil adultos cuiabanos que ainda não tomaram nenhuma dose da vacina contra a Covid, bem como mais de 50 mil pessoas que não retornaram para tomar a segunda dose e cerca de 30% dos adolescentes também não terem tomado sequer a primeira dose do imunizante.

“Um assunto muito importante, que venho dedicando um tempo muito grande discutindo com o Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 e com a equipe do Vacina Cuiabá é essa nova cepa que vem rondando o Brasil. Independentemente se ela é mais agressiva ou menos agressiva, me parece que ela tem um poder de propagação muito rápido, independentemente de ser menos letal ou mais letal, uma vida de um cuiabano, de uma cuiabana vale ouro, vale tudo! Eu quero tomar medidas, como gestor da Capital, para prevenir e proteger a saúde e a vida de todos os cuiabanos. Em virtude disso, por pura responsabilidade e recomendado tecnicamente por diretrizes da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde, estamos determinando a suspensão de todas as festividades

Com relação ao réveillon, estão liberadas apenas as festas familiares no âmbito das residências. Já em relação ao passaporte da vacinação, Emanuel Pinheiro afirmou que antes de publicar o decreto, se reunirá com representantes do setor produtivo, já que foram eles os mais impactados economicamente pela pandemia.

“Eu achei melhor ponderar que o setor produtivo tem que ser ouvido. Eles foram bastante penalizados, muitas atividades quebraram, fecharam as portas, muitos ainda vivem um momento dificílimo da sua atividade, muitos desempregos ocorreram em virtude disso. Então, apesar da saúde coletiva ser prioridade, temos que ouvir e tomar decisão conjunta com o setor produtivo. Os dados são inquestionáveis. Entretanto, para que eu possa editar esse decreto, de hoje para amanhã vou ter uma reunião com representantes da Fecomércio, CDL, Sindicato dos Restaurantes, Hotéis, Bares e Similares, representantes de shopping centers e do Shopping popular e do setor de eventos porque o decreto é bem amplo no que diz respeito ao passaporte da vacina”, afirmou Pinheiro.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)