Polícia

Sinop: delegada aponta casal como assassinos de mãe e filha

A Polícia Civil acaba de confirmar que descobriu os assassinos de mãe e filha, ocorridos na quinta-feira, na rua das Seringueiras, no Jardim Botânico. O casal Simone Simoni Relhers e Nivaldo Moreira Kienen são os acusados de matarem a dona de casa Silvia Bertolazi, 40 anos, e sua filha Renata, de 12 anos. A delegada regional, Fatima Moggi, confirmou, em primeira mão, ao Só Notícias, que uma testemunha garante ter visto Simone e Nivaldo saírem da casa no dia do crime. “A testemunha nos informou as roupas que eles usavam e conseguimos apreendê-las. Há sinais de sangue, confirmado pela perícia”, afirmou a delegada. “É evidente que ainda vamos provar isso através de DNA”, acrescentou.

O casal foi preso hoje de manhã e mora a menos de 100 metros da residência onde Silvia e a filha foram mortas a marteladas e facadas. “Os dois negam, mas temos uma testemunha que é fatgor decisivo apontando que eles são os autores dos homicídios”, acrescentou a delegada. “Ainda não sabemos o motivo. mas as investigações continuam e temos outros dados para serem apurados”, disse Fatima Moggi. O casal continua preso. Nivaldo estaria desempregado, mesma situação de Simone, pelo que a polícia apurou até agora. “Ainda há muitos detalhes neste crime para serem esclarecidos. Mas acreditamos que ocorreram entre às 10:30 e 11:00hs”, emendou.
Uma filha de Silvia Bertolazi foi visitar a mãe quando deparou com ela e a irmã mortos. O filho caçula de SIlvia, de 5 anos, levou uma martelada na cabeça, foi medicado e está fora de perigo.

Os acusados fizeram exames de corpo delito no Instituto Médico Legal e foram encaminhados para uma cela na delegacia municipal. Eles não concederam entrevistas mas em rápidas declarações negam ser os autores dos crimes.

Leia também:
Diretor da Polícia Civil chega a Sinop para acompanhar investigações de duplo homicídio
Polícia reforça investigações para prender assassino de mãe e filha em Sinop
Sinop: mãe e filha foram mortas a marteladas e polícia descarta estupros
Mãe e filha assassinadas em Sinop; jovem era filha de policial