Polícia

Delegada diz que Sinop precisa pelo menos mais 23 policiais

A Polícia Civil de Sinop conta hoje com um efetivo de nove investigadores e cinco escrivães, mas segundo a delegada regional Maria de Fátima Moggi,
necessitaria de no mínimo mais 23 agentes além de mais viaturas. Sinop, por exemplo, é uma das cidades que tem forte crescimento populacional e, consequentemente, índices de roubos e outros crimes acabam aumentando.
“Poderíamos dizer que há necessidade de viaturas novas. O Estado não tem a capacidade de suprir todas as delegacias com viaturas, mas hoje a delegacia municipal conta com quatro viaturas em bom estado e nós não temos deficiência de combustível. Temos uma camionete para grandes operações, mais três veículos pequenos que são usados nos plantões, cada plantão tem seu veículo, o que gera menos despesa ao Estado porque não há tanto danos aos veículo, pois é sempre o mesmo motorista”.

“A necessidade hoje da delegacia de Sinop é a mesma de todas as delegacias do Estado – mais agentes servidores: falta policial, falta escrivão. Sinop é uma cidade que teria que ter no mínimo oito ou nove escrivães porque nós contamos sempre com 3 escrivães por delegado e 10 policiais. Então, considerando esse número, nós temos hoje 5 escrivães, sendo 2 de polícia e 3 adoques (policiais que exercem a função de escrivão). Precisaríamos de cerca de 20 profissionais para investigar”, relatou a delegada, ao Só Notícias, completando que já está em elaboração o edital para a realização de um novo concurso para mais agentes. Ainda não há data definida de quando será feito.

Ontem, ela empossou os novos delegados Richard Damasceno Lage (municipal) e Anderson veiga (adjunto).