Opinião

Sigam em paz

Todos nós sabemos que usar a violência como reação, produzirá mais violência, ou seja, a liberação de armamentos para a população; o linchamento ou a pena de morte.

Essas iniciativas são também reações criminosas, e não servem como remédio para acabar com os crimes; ou seja, matar como forma de reação contra uma morte, não justifica, pois quem o pratica também é um criminoso.

Muitos querem lutar pela paz, mas esquecem que a paz é soma de atos de amor ao próximo, e essas atitudes devem começar pelo seu mundinho, ou seja, praticando primeiramente um estado de bondade em sua própria casa, depois ampliando as suas ações transformadoras ao seu ambiente de trabalho, com ações de cortesias e que todas as decisões venham do seu coração.
Ações de sentimentos que sejam repetidas em forma de tolerância e perdão, demonstrando humildade como forma em exemplo, logo esses procedimentos entrarão num processo repetitivo e transformador que pode contagiar a todos através do bem e atingirá as outras pessoas que estão em seu redor e que como você, estão buscando uma vida coletiva com experiência abençoada pela paz.

Porém, não é trocando de casa que conseguimos melhor o relacionamento familiar, mas sim, aprendendo á reconhecer o que precisa ser melhorado, às vezes tudo que está em nossos pensamentos são apenas símbolos e sinais, e no desespero de querer conquistar tudo imediatamente, esquecemos que tudo na vida requer tempo para corrigir e avançar, entendendo o porquê dos passos encalços, pois o arrependimento é apenas um estágio que sempre chega atrasado.
Quando não conseguimos ter um autocontrole de uma determinada situação, tudo pode se perder por ações impensadas.

Economista Wilson Carlos Fuah – Especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas em mato Grosso
[email protected]

Wilson Carlos Fuáh