Geral

Papa escreve bilhete. Médico diz que coração não suportará muito tempo

O doutor Corrado Manni, que foi anestesista de João Paulo II nas operações que fez desde 1981 (depois do atentado da Praça de São Pedro onde foi baleado pelo terrorista turco Ali Agca) até 1996, disse hoje que Karol Wojtyla tem uma “força extraordinária” e que sua resistência está surpreendendo os médicos que o atendem. Manni disse que o coração dele não vai resistir por muito tempo, devido a falência progressiva do órgão divulgada pelo Vaticano.

O próximo boletim médico do Papa João Paulo II será divulgado às 16h (12h de Mato Grosso), segundo o Vaticano.
O cardeal Achille Silvestrini, antigo colaborador de João Paulo II, foi visitá-lo hoje e, na saída, contou que o Papa “deu sinais de reconhecer as pessoas”. Silvestrini fez a visita junto com o cardeal Jean Louis Tauran e disse que o papa tinha uma expressão “serena”.

As autoridades de Roma colocaram em prática diversas medidas de segurança e um plano especial para alojar mais de um milhão de pessoas que chegarão de todo o mundo à capital italiana para acompanhar a agonia do Papa João Paulo II.

O cardeal alemão Joseph Ratzinger, um dos mais estreitos colaboradores de João Paulo II, afirmou hoje que o Papa “está consciente de que está a ponto de passar para as mãos de Deus e me deu a última saudação”.

Segundo o Vaticano, ontem o Pontífice pronunciou algumas palavras de agradecimento aos jovens que foram à Praça de São Pedro acompanhá-lo neste momento.

“Quando ele fala, seus olhos estão abertos e ele permanece consciente, mas em alguns momentos ele parece estar dormindo…Tecnicamente eu excluiria um estado de coma”, afirmou o porta voz do Vaticano, Joaquín Navarro-Valls, explicando que o estado geral do Papa continua “muito sério”.

Em pronunciamento às 6h30 de Brasília, Joaquín Navarro Valls, disse que foi celebrada uma missa na presença do papa e que escreveu bilhete: “Deus vem a mim e por isso eu agradeço”. O papa reage as movimentações em seus aposentos apenas com o olhar. Valls não quis dar mais detalhes técnicos, e disse que foi celebrada uma missa na presença do pontífice às 7h30 no horário local.

O Papa João Paulo II está instalado em uma grande cama coberta de branco situada praticamente no meio de seu quarto, informou o cardeal italiano Mario Francesco Pomppedda aos jornais La Repubblica e Il Giornale.