Geral

Médico diz que piloto usou toda sua experiência para amenizar a queda em Sinop

Se o resgate tivesse chegado mais rápido, todos poderiam ter se salvado. A afirmação é do médico Euler Preza, durante uma entrevista a TV Gazeta, de Cuiabá. Ele ressaltou que eles estavam prontos para pousar no aeroporto de Sinop.

Veja cobertura especial e fotos da tragédia clicando aqui

“O piloto chegou a avisar para a torre que pousaríamos em 5 minutos. Mas o Maciel foi desviar de uma nuvem de chuva. Também havia muita fumaça dificultando a visibilidade”, contou ele. O avião estava em baixa altitude e acabou se chocando contra a copa de uma árvore.

“O Maciel, com toda sua experiência, fez de tudo para amenizar a queda”, afirmou o médico. Ele agradeceu a toda a equipe de resgate, Força Aérea Brasileira, Corpo de Bombeiros de Sinop e Help Vida. “O local onde caímos era muito difícil de localizar, uma mata baixa”, concluiu.

Ele lamentou a morte do piloto e disse que não pode ajudá-lo porque sentiu as pernas imobilizadas. “Eu não sentia as minhas pernas, o enfermeiro também estava com a perna quebrada. O Maciel pediu ajuda para sair do avião, mas não tínhamos como ajudá-lo. Por fim ele acabou saindo sozinho, se deitou sobre a asa do avião e morreu pouco depois”, afirmou.

Como Só Notícias já informou, o acidente ocorreu por volta das 19:00h de segunda-feira, há 22 km de Sinop. O avião estava vindo de Juína para Sinop, transportando dois bebês recém-nascidos, prematuros, a mãe deles, Marlene Amorin, o médico Euler Preza, o enfermeiro Wagner Vieira, sendo pilotado pelo piloto Ademar Maciel. Um dos bebês também faleceu.