Geral

Mais de 30 mil títulos eleitorais em Mato Grosso serão cancelados pelo TSE

Apenas 2,87% dos 31.502 eleitores que faltaram e não justificaram sua ausência nas três últimas e consecutivas eleições evitaram o cancelamento de seus títulos eleitorais. Outros 30.596 serão cancelados pelo Tribunal Superior Eleitoral na próxima semana, mais precisamente entre os dias 21 e 26 de maio. No dia 27 (sexta-feira), será emitida uma lista das inscrições canceladas, organizadas por zona/município, e os relatórios das estatísticas por sexo e faixa etária. Durante esse período o TSE irá suspender as atualizações nos cadastros eleitorais.

Dos 9.072 eleitores faltosos de Cuiabá, apenas 260 (2.86%) regularizaram sua situação evitando o cancelamento de seu título de eleitor, mas os 8.812 restantes terão sua inscrição cancelada. Em Várzea Grande, 2.260 títulos serão cancelados, pois apenas 79 (2,88%) procuraram se regularizar com a Justiça Eleitoral. Em Rondonópolis, 1.737 títulos serão cancelados, já que apenas 63 (3,50%) eleitores procuraram se regularizar com a justiça Eleitoral. Em Sinop, 45 eleitores (4,40%) apresentaram justificativas, mas 977 inscrições serão canceladas e, em Cáceres, 24 (2,68%) justificaram e 869 terão títulos cancelados.

Os municípios mato-grossenses em que um maior número de eleitores evitaram o cancelamento de suas inscrições eleitorais foi Lucas do Rio Verde, com 40% de justificativas, Araputanga, com 36%, e Diamantino, com 19%. Por outro lado, em 48 municípios, nenhum eleitor procurou regularizar sua situação. É o caso de São José do Xingu, que apesar de ter tido o maior número percentual de eleitores faltosos do Estado, nenhum procurou seu Cartório Eleitoral.

Esses 30.596 eleitores do Estado terão seus títulos cancelados por não terem justificado sua falta nas três últimas e consecutivas eleições ou procurado os Cartórios Eleitorais para regularizar sua situação com a Justiça Eleitoral. Com a inscrição eleitoral cancelada o eleitor fica impossibilitado de se inscrever em concursos públicos bem como exercer qualquer cargo ou função pública. Se já trabalha em órgão público, não poderá receber seu salário ou vencimento. Não obter passaporte, tirar CPF e Carteira de Identidade são outras penalidades que poderão ser aplicadas a estes eleitores.