Geral

Justiça mantém na cadeia acusados de matar e atear fogo em corpo de jovem em Sinop

A Justiça de Sinop decidiu manter a prisão de dois acusados de envolvimento no assassinato de Augusto Marinhos Ferreira, 20 anos. O jovem foi morto com tiros de espingarda e uma facada no peito, em dezembro do ano passado. O corpo dele foi encontrado carbonizado em um Renault Clio, placas de Sinop, na estrada Monalisa, na zona rural do município.

Em sua decisão, a juíza Rosângela Zacarkim citou a ordem pública como justificativa para manutenção das prisões. “Com efeito, a ordem pública se encontra abalada em razão da periculosidade dos acusados, demonstrada pelo modus operandi do delito, in casu, supostamente praticado em decorrência de um desentendimento havido entre os acusados e a vítima, sendo que esta, em tese, veio a óbito, eis que lhe fora desferido um disparo de arma de fogo e após recebeu um golpe de faca na região do peito”.

A Polícia Civil apurou que, no dia 5 de dezembro, Augusto e os dois suspeitos teriam participado de um roubo em uma propriedade rural na região. Segundo a denúncia, a “empreitada criminosa” não teria ocorrido como planejada, uma vez que Marinhos teria deixado de buscar os comparsas no local combinado, o que teria causado um “aborrecimento” em um dos acusados do homicídio.

No mesmo dia, Augusto e os acusados teriam feito uma confraternização em uma residência, onde consumiram “bebidas alcoólicas e entorpecentes durante toda a notie”. No dia seguinte, conforme a denúncia, os acusados decidiram matar o jovem. Um deles teria pegado uma espingarda e atirado duas vezes no rosto de Augusto, que dormia em um dos cômodos da casa. Ao perceber que a vítima continuava respirando, o suspeito ainda teria dado mais uma facada. Em seguida, com auxílio de um outro acusado, o corpo da vítima no próprio veículo até a zona rural, onde foi carbonizado.

Em janeiro, dois mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento no assassinato foram cumpridos pela Polícia Civil. Um dos acusados foi localizado, em Foz do Iguaçu (PR), após troca de informações entre a Polícia Civil daquele Estado e a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Sinop. Já o segundo suspeito havia sido preso, dias antes, por posse ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas e já estava no presídio Osvaldo Florentino Leite, o “Ferrugem”.

Conforme Só Notícias já informou, as investigações apontaram contra um grupo criminoso envolvidos em vários crimes de roubos a comércios e propriedades rurais em Sinop. O delegado Ugo Ângelo Reck Mendonça informou, anteriormente, que o grupo foi responsável por pelo menos 4 roubos ocorridos recentemente em Sinop e região. “Eles praticaram o roubo a uma fazenda na cidade de Feliz Natal (130 km de Sinop), no dia 15 de novembro. Na ocasião, os criminosos subtraíram mais R$ 225 mil em produtos agrícolas que haviam chegado à propriedade no dia anterior”, disse o delegado.

O gerente e um funcionário da fazenda foram rendidos pelos criminosos e obrigados a carregar o veículo com os defensivos. Durante as investigações, vários produtos roubados pelos suspeitos foram recuperados em ações das polícias Civil e Militar. Os produtos roubados foram localizados, em uma casa no bairro Vila Santana, em Sinop, onde foram apreendidos 27 galões de 20 litros de veneno.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo/arquivo)