Geral

Justiça determina júri e revoga prisão de acusado de matar mulher em Sinop

A justiça determinou a soltura do acusado de assassinar a esposa Maria Edna do Couto, 50 anos. O réu estava emprisão domiciliar,e é apontado como único suspeito do homicídio, ocorrido em agosto de 2018, em um salão localizado no bairro Jardim das Acácias. A vítima foi morta a facadas.

Conforme a juíza Rosângela Zacarkim, que determinou a soltura, “não há nos autos indícios de que este (acusado) venha a tumultuar a relação processual, gerar desordem pública ou evadir-se, com intuito de prejudicar uma possível condenação, razão pela qual a revogação de sua prisão é medida que se impõe”.

A magistrada ainda decidiu que o réu deverá ser submetido a júri popular por homicídio qualificado, cometido por motivo fútil e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. “Destarte, após a análise das provas produzidas nos autos, tenho que há indícios de autoria suficientes para o encaminhamento do caso ao julgamento pelo Tribunal do Júri, mormente pelo teor das declarações prestadas na fase investigativa e em Juízo”.

Conforme Só Notícias já informou, foi registrado em boletim de ocorrência que a mulher morava no salão e estava em processo de separação do marido. Logo após o crime ele passou mal e foi levado para Unidade de Pronto Atendimento, onde acabou preso. Maria Edna foi trasladada para Marcelância (170 quilômetros de Sinop), onde foi sepultada.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Só Notícias/arquivo)