Geral

Hemocentro fará na 6ª evento para incentivar doação de medula óssea em Mato Grosso

A secretaria de Estado de Saúde, por meio do Mato Grosso Hemocentro, realizará na próxima sexta-feira das 9h às 19h, a 1ª Jornada sobre Doação de Medula Óssea. O evento será transmitido ao vivo por meio do canal no Youtube da Educação Permanente.  A atividade faz alusão ao Dia Mundial do Doador Voluntário de Medula Óssea, celebrado no terceiro sábado de setembro, ou seja, dia 19, este ano.

“A doação de medula é importante para ajudar pacientes que tem leucemia, aplasia de medula, alguns tipos de câncer, de linfoma e de anemia, e ocorre por compatibilidade genética. A compatibilidade familiar é de 25 a 30% (máximo) e a busca, pelo Redome Brasileiro, é de 1 em 100 mil e, no internacional, de 1 em 1 milhão”, destaca a diretora do MT Hemocentro, Gian Carla Zanella.

Com o lema “Doe Medula Óssea: Floresça Vidas”, a programação conta com esclarecimentos sobre os mitos e verdades que cercam o assunto, depoimentos de pacientes e familiares além da apresentação de um especialista em Medula Óssea na Doença Falciforme e médico do Serviço de Transplante de Medula Óssea do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (SP), doutor Luiz Guilherme Darrigo Junior.

Conforme dados do Banco de Sangue Público, há 65.460 doadores de medula óssea cadastrados no estado. Desses, 2.565 ingressaram como doadores em 2019. A diretora explica que, devido a Pandemia pela Covid-19, em 2020 o número de novos doadores diminuiu. Até o momento, o Hemocentro contabiliza 730 novos cadastros neste ano.

No ano passado, ocorreram 20 compatibilidades com pacientes nacionais e 16 compatibilidades com pacientes internacionais. Das 36 compatibilidades, quatro doadores efetuaram a doação de medula óssea. Já em 2020, o Hemocentro obteve 11 compatibilidades nacionais e nove compatibilidades internacionais. Das 20 compatibilidades, dois doadores efetuaram a doação de medula óssea até o momento.

A medula óssea é constituída por um tecido esponjoso mole localizado no interior dos ossos longos. É nela que o organismo produz praticamente todas as células do sangue: glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Os principais beneficiados com o transplante são os pacientes com leucemia, linfomas e doenças autoimunes.

Interessados em ser um doador de medula óssea podem ir até o MT Hemocentro, situado na rua 13 de junho, número 1055, no Centro, em Cuiabá, e realizar o cadastro no banco de doadores do Redome. O local fica aberto de segunda a sexta-feira, das 07h30 às 17h30.

É necessário portar documento oficial com foto, estar saudável e ter entre 18 e 55 anos de idade para realizar o cadastro. A carteirinha de doador é impressa em papel sulfite no ato do cadastro, sendo o único documento de comprovação de cadastro emitido pelo Redome.

Redação Só Notícias (foto: Marcos Vergueiro/assessoria)