Geral

Fórum de Segurança Pública aponta queda de 9,7% na taxa de mortes violentas em Mato Grosso

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontou através do 13° Anuário Brasileiro de Segurança Pública que Mato Grosso teve redução de 9,7% na variação da taxa de mortes violentas entre os anos de 2017 e 2018. As informações são fornecidas todos os anos pelas secretarias de segurança pública estaduais, pelo Tesouro Nacional, pelas polícias civis, militares e federal, entre outras fontes oficiais da segurança pública.

Ainda segundo dados do anuário, o número de homicídios dolosos caiu 7%. Em 2017, ocorreram 985 mortes e no ano passado foram 916. Também teve redução de 28% nos latrocínios (roubos seguidos de morte). De 50 passou para 36 casos. Os crimes de lesão corporal com consequência de mortes das vítimas foram 40 em 2017 e 16 em 2018 (redução de 60%).

Conforme Só Notícias já informou, segundo dados da secretaria de Estado de Segurança Pública houve aumento de 29% no número de crimes de homicídios de janeiro a junho deste ano, na regional de que compreende as cidades de Nova Mutum, Diamantino, Alto Paraguai, Nortelândia, Nova Marilândia, Arenápolis, São José do Rio Claro, Santo Afonso, Lucas do Rio Verde, além das cidades de Nova Maringá e Santa Rita do Trivelato. Foram 45 mortes no primeiro semestre de 2018 e 58 este ano

Por outro lado, houve redução considerável de 23% nos registros de roubos (de 436 para 337 casos). Já os furtos tiveram queda de apenas 1%. Nos seis meses de 2018 foram 1.251 e, no primeiro semestre deste ano, 1.236 registros.

Na regional de Alta Floresta, que atende as cidades Nova Bandeirantes, Nova Monte Verde, Apiacás, Paranaíta, Nova Canaã do Norte, Colíder, Carlinda teve redução de 59%.  De 22 caiu para 8 mortes este ano.

Em Sinop, Sorriso, Cláudia, Feliz Natal, Santa Carmem, União do Sul, Vera, Ipiranga do Norte e Nova Ubiratã que  fazem da das Regiões Integradas De Segurança Pública, o número de homicídios aumentou 17%. De 47 assassinatos passou para 55.

Na regional de Itaúba, Santa Helena, Terra Nova do Norte, Marcelândia, Nova Guarita, Matupá, Peixoto de Azevedo, Guarantã do Norte e Novo Mundo, também houve aumento de 52%. De 17 o aumentou para 26 mortes em 2019.

Só Notícias/Cleber Romero