Geral

Designado delegado para apurar atentado em escritório advogacia em Lucas R. Verde

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Célio Wilson de Oliveira, vai designar um delegado especial para investigar o atentado ao escritório das advogadas Adriane Marcon e Graziela Filipetto, no município de Lucas do Rio Verde. O caso aconteceu no dia 21 do mês passado e até o momento a Polícia não sabe quem está envolvido no caso. O pedido de providências foi solicitado pelo presidente da OAB, Francisco Faiad.

Faiad relatou ao secretário que os tiros foram disparados contra a parede de vidro que era a fachada do escritório onde constava o nome e áreas de atuação das duas profissionais. A parede de vidro, que ficou totalmente destruída, fazia divisão da sala de Adriane Marcon com a rua e os seis disparos atravessaram os vidros e perfuraram os móveis e paredes da respectiva sala. Na hora do atentado, o escritório encontrava-se vazio.

“É preciso que haja uma ação efetiva da Polícia nesse sentido porque é possível que estejam envolvidas até mesmo pessoas influentes” – disse o presidente da OAB no encontro com o secretário. “Não podemos deixar que outra advogada seja assassinada neste Estado”. Faiad lembrou que a advocacia ainda aguarda a conclusão das investigações do caso envolvendo o assassinato da advogada Irene Bricati, de Alta Floresta.

Adriane e Graziela suspeitam de partes adversas em demandas em que os clientes das mesmas foram vencedores nos feitos patrocinados pelas mesmas, sendo que os suspeitos em certos momentos evidenciaram intenção malévola contra as profissionais. As advogadas se dizem atônitas com o ocorrido pois sempre agiram corretamente tanto para com seus clientes, os quais as mesmas não medem