Geral

Comerciantes e funcionários fazem carreata ‘Sorriso não pode parar’ pedindo reabertura de empresas

Comerciantes, funcionários, profissionais liberais pais de alunos de escolas participaram, há pouco, da carreata ‘Sorriso não pode parar’ para que seja reavaliada a decisão judicial que suspendeu, desde ontem, funcionamento de bares, academias por conta de aglomerações e riscos de aumento dos casos de Covid-19. A decisão também suspendeu missas e cultos.

O manifesto iniciou pela avenida Natalino Brescansin (principal da cidade), sentido BR-163 centro, praça das Fontes e seguiu por alguns bairros. Os participantes usaram máscaras e alguns levaram cartazes protestando contra o fechamento das empresas. Os organizadores estimaram cerca de 150 veículos na carreata.

A prefeitura encaminhou, ontem, ao Ministério Público, nota técnica especificando as exigências para que bares, lanchonetes, restaurantes e similares adotem para evitar aglomerações, os clientes usarem máscaras, álcool gel, ficarem no mínimo 1,5 metro distantes para que possam voltar a funcionar. O promotor de Justiça Marcio Florestan, o procurador jurídico da prefeitura, Daniel Melo, secretários e defensores públicos se reuniram, ontem, visando construir o acordo com normas e exigências. O promotor avaliou que o encontro foi “muito importante”, “os decretos municipais estabelecem que devem funcionar com 50% de suas capacidade para evitar aglomeração e não potencializar o risco de transmissão do Coronavírus”.

A justiça avaliará nova manifestação do MP e defensoria que pode resultar na reabertura das empresas, mas ainda não foi previsto para quando. Há expectativa que a liberação possa ocorrer a partir desta 5ª feira.

As aulas em algumas escolas estão sendo retomadas de forma gradual, por turmas/séries.

O mais recente balanço da secretaria de Saúde aponta 13 novos casos de Coronavírus em Sorriso e 68 pessoas estão curadas e duas estão em UTI.

 

Só Notícias (fotos: Só Notícias/Lucas Torres)