Economia

Presidente do Sindusmad diz ter se expressado mal e defende que madeireiras continuem funcionando

O presidente do Sindusmad (Sindicato das Indústrias Madeireiras do Norte), Wilson José Volkweis, divulgou nota, hoje, expondo que se expressou mal, ontem, na entrevista Só Notícias, e que, na verdade, defende que as indústrias madeireiras de Sinop e região continuem funcionando neste período de dificuldades por conta do Coronavírus.

“Vale destacar que nós do sindicato não somos a favor da paralisação das atividades das indústrias madeireiras de Sinop e região, pois nesse momento de dificuldade temos que ter cautela em todos os nossos posicionamentos. O meu pronunciamento foi de que o Decreto Municipal de Sinop 064/2020, publicado em 20 de março não atingiu diretamente as indústrias madeireiras localizadas em Sinop. Portanto continuamos nossas atividades, mas recomendamos a todos o cuidado redobrado perante a higiene dos nossos colaboradores”, expõe o presidente.

“A atividade industrial madeireira trabalha em espaçamento aberto e arejado, não possui atendimento ao público assim evitando aglomerações, e tomamos as devidas precauções quanto ao fornecimento de material de limpeza para equipamentos e ferramentas. Deixamos claro perante aos membros associados de que, todos podem continuar trabalhando, porém quem optar por parar temporariamente suas respectivas atividades por motivos de precaução, sintam-se livres, e saibam que possam tomar iniciativas disponibilizadas na Medida Provisória editada e veiculada pelo Presidente da República, tais como, antecipação de férias individuais ou coletivas, antecipação de feriados, formatação de banco de horas, entre outras alternativas disponibilizadas pela MP”, acrescenta.

Wilson também registra que, “na segunda-feira entrei em contato com a Prefeita Rosana Martinelli, dizendo que o nosso posicionamento seria de não cessar as nossas atividades, e solicitei se caso a prefeitura por ventura viesse a incluir as indústrias de Sinop no decreto municipal, que nos avisasse com antecedência para assim podermos nos organizar e tomar a melhor decisão perante aos nossos colaboradores, para que ninguém seja prejudicado integralmente.
Todos estamos enfrentando o desafio do Coranavírus, e nesse momento difícil nós do setor industrial não podemos parar, pois o Brasil é movimentado a partir do agronegócio e da construção civil, sendo assim entendemos que a paralisação desenfreada certamente trará muito mais problemas a sociedade, ponderação e bom senso devem prevalecer nesse delicado momento que o Brasil e mundo enfrentam”, aponta e conclui registrando pedido de “desculpas a todos meus companheiros de trabalho e também a sociedade em geral”, pela manifestação de ontem quando opinou sobre fechamento de empresas como medidas para evitar aglomerações.

O Sindusmad possui 86 empresas associadas em Sinop e cerca de 143 empresas associadas em sua totalidade, abrangendo 29 municípios, entre eles – Santa Carmem, Claudia, União do Sul e Itaúba.

O decreto municipal em Sinop estabelece que cerca de 12 mil empresas do comércio varejista e de outros segmentos ficam fechadas por 15 dias, a contar da última segunda-feira, para evitar aglomerações de pessoas e possíveis contágios. Supermercados, farmácias, postos de combustíveis e outros de atividade essenciais podem funcionar.

Só Notícias (foto: Só Notícias/Guilherme Araujo)