Economia

Prefeitura libera mais uma parte do comércio funcionar e pede calma; Sinop tem 29 casos suspeitos de Covid

A prefeita Rosana Martinelli anunciou, há pouco, novo decreto que reforça medidas emergenciais de prevenção ao Coronavírus. “Estamos regulamentando novo documento com algumas nova diretrizes, que começam a valer a partir de hoje”. “Para evitar o colapso do ramo de transporte fica permitido a partir de agora o funcionamento de borracharias, oficinas de manutenção, posto de molas, recapadoras e reparos mecânicos de veículos automotores, limitando-se 50% da capacidade”. “Permanece autorizado o atendimento do comércio em geral varejista ou atacadista, incluindo bares, restaurantes, lanchonetes e demais estabelecimentos de gênero alimentício, em regime de entrega de delivery, bem como venda on-line, por telefone, ou os consumidores poderão retirar no local”, anunciou.

“Isso vale para varejistas da construção civil, materiais de construção, tintas, materiais elétricos, e afins, bem como produtos agropecuários, insumos, medicamentos e produtos veterinários. Drive thru e retirada no local poderá ocorrer somente se o consumidor não entrar no estabelecimento, não se confunde com a possibilidade de atendimento presencial, que permanecem suspenso”, acrescentou.

Além disso, agora hotéis também estão autorizados a funcionar. “Isso com os processos internos sendo realizados em home office, além disso deve-se adotar medidas de proteção, higienização, manter kits completos de higienização sanitária para mãos, para clientes e funcionários, e os empresários também terão que enviar informações à secretaria de Saúde sobre número de hospedes e histórico completo de pessoas”, salientou.

Clínicas odontológicas, veterinárias e pet shops também podem funcionar “em regime de urgência, emergência e internações, clínicas que prestem atendimento ou vendam produtos veterinários e saneantes estão autorizadas, mas cumprindo determinações de decretos anteriores”. “Empresas de medicina do trabalho e saúde ocupacional estão liberadas, porém com atendimento preferencialmente com método de agendamento, respeitando medidas previstas em decretos”, salientou.

Outro segmento liberado é de padarias. “Podem ser abertas, desde que não permaneçam pessoas nas lojas, limitando a quantidade de pessoas evitando aglomerações e filas. As mesas não estão liberadas para consumo no local”, informou, em entrevista coletiva por redes sociais.

A projeção, antes da flexibilização anunciada hoje, era de aproximadamente 12 mil empresas de diversos segmentos fechadas desde a última segunda-feira. Esta tarde, dirigentes de entidades pediram para a prefeitura autorizar abertura de empresas em diversos segmentos. “Peço calma aos nossos empresários pois essas medidas precisam ser avaliadas com muita cautela. Sabemos que Sinop não será mais a mesma após a crise do Coronavírus, e minha responsabilidade é tentar garantir o menor impacto em todas as situações e em todas as áreas”. “Estamos preocupados principalmente com a questão do desemprego. Atendemos e ouvimos todos os segmentos, mas este momento também ouvimos a classe médica, representantes, para vermos como está nossa capacidade de atendimento. Essas são as decisões, e assim que tivermos orientações mais esclarecedoras do ministério da Saúde tomaremos novas decisões. O decreto pode ser alterado a qualquer momento”, enfatizou a prefeita.

No boletim da secretaria estadual de Saúde, divulgado hoje, em Sinop, são 29 casos suspeitos e 2 descartados. No Estado são 7 pessoas confirmadas com a doença (ontem havia 7).

Em instantes mais detalhes

Só Notícias/Luan Cordeiro (atualizada 19:37h - foto: reprodução)