SocialNews

Mãe do pequeno Miguel vai ao programa “Encontro” e seu relato faz Fátima Bernardes chorar ao vivo

Mãe do pequeno Miguel Otávio de 5 anos, Mirtes Renata Souza relatou como aconteceu toda a tragédia com seu filho, que morreu após cair de um prédio localizado em Recife. Durante a entrevista, por vídeo chamada, a mãe se manteu forte para não chorar, agradeceu o espaço e apoio que esta recebendo, seu relato emocionou todo o Brasil e disse que fará de tudo por justiça.

“Obrigada a todos, obrigada por estar dando essa força e orando. Eu peço que continuem orando, por mim, pela minha mãe, para que a gente tenha força para continuar lutando, para que a gente faça justiça pela morte de Miguel, porque a morte do meu filho não vai ficar impune. Eu vou mover céus e terras por justiça.”

Durante a entrevista, Mirtes disse que estava na cama do filho e que os dois dormiam juntos, “quando eu deito, olho para a cama do meu filho e vejo que ele não está aqui, a dor aumenta mais ainda […] Ele era a minha vida! Eu não sei o que será da minha vida. Desde que ele partiu, Fátima, eu estou sem chão.”

Mirtes também revelou como tudo aconteceu, e disse que como a creche onde Miguel estudava estava fechada por conta da pandemia, ela tinha levado o pequeno para o trabalho. Lá, ele e a filha de Sari, desobedeceram Mirtes e, por isso, ela não os levou para passear com Mel, a cachorra da família, e deixou os dois sob a responsabilidade da patroa.

“Quando eu voltei com a Mel, peguei uma encomenda na portaria e fui até o elevador social. Chegando lá, o zelador disse que alguém havia caído do prédio. Deu uma dor forte no meu peito”

No mesmo momento, Mirtes pegou o elevador e foi até o térreo, onde encontrou Miguel, caído:

“Miguel, Miguel, volta para mim. Não faz isso com a mamãe. Por que vocês fez isso, meu filho? […] Olhei os batimentos dele, ele estava vivo ainda.”

De acordo com Mirtes, um morador do prédio que é médico, desceu, examinou Miguel e disse que ele ainda estava vivo, mas precisava ser socorrido com urgência. Como o Samu estava demorando, o pequeno foi levado de carro ao hospital.

“Miguel ainda chegou com vida, mas logo depois veio a óbito. Aquilo doeu tanto! Eu perdi meu filho por uma questão de falta de paciência. Tanta paciência que eu tinha com os filhos dela (Sari). Ela confiava os filhos dela de olhos fechados a mim e à minha mãe que também trabalhava para ela. Ela confiava totalmente na gente e por uma questão de nem 10 minutos, ela não teve paciência com meu filho, não tirou meu filho daquele elevador e ainda apertou o botão para o meu filho ir lá para cima”, desabafou Mirtes.

Ao conversar com Sari e questioná-lo do por que a patroa deixou o menino sozinho no elevador, Mirtes recebeu a seguinte resposta: “Eu vou te provar que não apertei aquele botão”, entretanto, as imagens mostram que ela acionou um botão quando Miguel estava dentro do elevador.

“As imagens estão claras, que ela deixou meu filho dentro do elevador. Ela deixou a porta fechar e não teve a coragem, a capacidade, de segurar a mão do meu filho e tirar dali de dentro, porque se fosse a filha dela, eu teria tirado […] Ela não teve um pingo de paciência com meu filho, enquanto eu tive toda a paciência do mundo com os filhos dela […] A primeira e a única vez que eu confiei meu filho à ela, ela deixou meu filho ir para a morte”.

Em diversos momentos, Mirtes segurou o choro e disse que está tentando ser forte: “Eu estou tentando ser forte, não só para fazer justiça, mas para tentar passar um pouco de fortaleza para minha mãe, que minha mãe está precisando muito”.

Entretanto, ao lembrar de como Miguel era uma criança feliz e do cuidado que ela tinha com ele, Mirtes desabou e até Fátima não conteve as lágrimas e chorou junto com a mãe do pequeno.

Mirtes também falou sobre os sonhos que Miguel tinha: “Ele dizia que quando crescesse, ia ser policial ou jogador de futebol”, mas infelizmente, seus sonhos foram interrompidos.

Social News (foto: reprodução/Instagram)