Saúde

Sinop sedia 1ª Conferência Regional de Saúde do Trabalhador

O Escritório Regional de Saúde (ERS) em Sinop, por meio da Secretaria Estadual de Saúde, está realizando, desde ontem, a 1ª Conferência Regional de Saúde do Trabalhador, com o tema “Trabalhar Sim, Adoecer Não”. A conferência termina hoje e está sendo realizada no auditório do Ceprotec. Seu principal objetivo é propor diretrizes para efetuar a ação articulada dos órgãos setoriais da região e do Estado na execução da política relativa à saúde do trabalhador com um efetivo controle social. Ontem, foi aberto um debate sobre essa política, com a participação do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador; ERS de Sinop e Delegacia Regional do Trabalho (DRT) de Cuiabá.

Hoje será feita a aprovação do Regimento Interno, trabalhos em grupos e, à tarde, a aprovação das propostas e eleição de 12 delegados que representarão a região Norte de Mato Grosso na 2ª Conferência Estadual de Saúde do Trabalhador. Esses delegados serão escolhidos entre os delegados de cada município presentes na conferência, cerca de 60 no total, uma média de 4 por município.

Outro assunto que será debatido durante é a implantação do Centro de Referências em Saúde do Trabalhador em Sinop. O projeto já está em andamento desde o início do ano. O Centro irá tratar da notificação dos acidentes que o trabalhador sofre em serviço. O objetivo é diminuir os acidentes de trabalho e melhorar o atendimento oferecido, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aos servidores. Atualmente, os trabalhadores já são atendidos nos postos de saúde, pronto-socorros e hospitais regionais.

Com o centro, será possível apontar quais são os trabalhadores, em que são atendidos, porque, quando, qual o tipo de acidente sofrido e qual a empresa que trabalha. O levantamento vai servir para detectar inadimplências, quanto à segurança no trabalho nas empresas, para que medidas repressivas sejam aplicadas às mesmas, como estipulação de prazos para adequações necessárias ou multas àquelas que não atenderem às exigências.

O levantamento dos dados será realizado com o apoio dos Sindicatos dos Trabalhadores e Secretarias Municipais de Saúde, Delegacia Regional do Trabalho, Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), SUS, Corpo de Bombeiros, Fundação Estadual de Meio Ambiente (Fema), Vigilância Sanitária e ERS, este coordenará todas as ações do projeto.

Hoje já existe um Centro de Referências em Saúde do Trabalhador em Rondonópolis e Cuiabá, onde também funciona a Central Estadual de Saúde do Trabalhador. Os recursos aplicados no centro de Sinop seriam de R$ 270 mil por mês. Esse valor é para apoiar as pesquisas e os trabalhos. R$ 100 mil são para a UFMT que trabalhará nas pesquisas das causas dos acidentes e com isso na busca de soluções para os problemas levantados.