Saúde

Sinop chega a 89% de ocupação nas UTIs Covid e Estado registra 69%

O boletim epidemiológico divulgado, ontem no início da noite, pela secretaria estadual de Saúde detalhou que o Hospital Regional de Sinop registra 89,47% de ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva exclusivas para Coronavírus (estava em 84,21%). São 19 leitos pactuados e 17 estão com pacientes.

Segundo o documento, o Hilda Strenger Ribeiro, em Nova Mutum, registra 100%, com todos os 20 leitos ocupados. No Regional de Sorriso são apenas duas UTIs, e todas ocupadas. Em Alta Floresta, no Hospital e Maternidade Santa Rita, são 10 pactuadas e nove ocupadas (90%). No Regional de Peixoto de Azevedo, onde há 10 leitos habilitados, nenhum registra internação.

Já em Cuiabá, no Hospital e Pronto Socorro Municipal, é de 53,75%, ou seja, dos 80 pactuados, 43 estão com pacientes. No Universitário Júlio Muller, são oito leitos e todos ocupados. Na Santa Casa, há 20 leitos e sete estão vagos, taxa de 65%. No São Benedito, são 40 leitos e 21 estão sem pacientes (47,5%).

Na Santa Casa, em Rondonópolis, que conta com 20 UTIs, a taxa é de 65%, com sete vagas. No Regional, são 10 UTIs pactuadas e todas estão ocupadas. Em Várzea Grande, no Estadual Metropolitano, são 70 pactuados e 15 livres (78,57%).

Já no Hospital Regional Doutor Antônio Fontes, em Cáceres, são 10 leitos habilitados e, no momento, sete estão com pacientes internados (70%).  No Regional de Água Boa, são 10 leitos e seis estão sem pacientes (40%).

Em Pontes e Lacerda, no Vale do Guaporé, são 10 UTIs e nove ocupadas (90%). Em Barra do Garças são nove UTIs, e o percentual é de 66,67% com três vagas. No Municipal Arlete Daisy Cichetti de Brito de Tangará da Serra são 13 leitos e a ocupação é de 76,92%, com três vagas.

No São Lucas, em Primavera do Leste, são 10 e quatro estão desocupados (60%). No Coração de Jesus, em Campo Verde, são 10 habilitados, e sete estão desocupados (30%). Em Juína, no municipal, são 10 unidades, com taxa de 80%, ou seja duas estão disponíveis.

Analisando o panorama geral da rede pública em Mato Grosso, a taxa apresentou aumento novamente, passando de 67,77 para 69,05%, ou seja, das 403 pactuadas, 121 estão disponíveis para receber pacientes. Para as enfermarias está em 36%. São 876 habilitadas e 564 estão vagas

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: assessoria/arquivo)