Saúde

Sinop adere campanha para evitar novas infecções por HIV

O município aderiu à campanha chamada meta 90/90/90, estabelecida pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS, a fim de controlar a epidemia mundial até 2020. A meta consiste em ter 90% das pessoas com HIV devidamente diagnosticadas, deste grupo 90% realizando o tratamento com antirretrovirais e 90% com carga viral indetectável, o que indica o sucesso do método terapêutico aplicado.

De acordo com o médico obstetra e coordenador do Serviço de Atenção Especializado (SAE), Walther Esteves Lima, o portador com a carga viral indetectável, não transmite a doença mesmo quando tem relações sexuais desprotegidos. Atualmente, também já é possível realizar partos normais em gestante com esse diagnóstico sem contaminar o recém-nascido.

Em Sinop, é preocupante o número de jovens adultos, principalmente universitários que estão se contaminando. Para o médico a liberdade que muitos ganham a ficar longe de casa, acaba contribuindo com esse descuido com a saúde sexual.

“Não é uma critica, eu acho que essa liberdade é importante para homens e mulheres. O problema é que essa autonomia sobre o próprio corpo e sobre a vida sexual não vem acompanhada de cuidados”, explicou.

Segundo Warther o número de homossexuais contaminados também voltou a crescer. O grupo havia tido uma queda nos índices com as campanhas dos últimos anos.

Para reforçar a ação, o município está ofertando em todas as Unidades Básicas de Saúde o teste rápido de HIV, com livre demanda. Os profissionais da saúde estão sendo capacitados para oferecer o exame a todos que forem até unidade, independente do serviço procurado pelo paciente.

“Todas as pessoas que tiveram relação desprotegida pelo menos uma vez na vida, está sujeita a ser um portador do vírus e é essencial que realize o teste nos postos de saúde”, reforçou.

De acordo com dados da secretaria municipal de Saúde, Sinop zerou o número de transmissões do vírus HIV de mãe para filho nos últimos quatro anos. Nos próximos dias o município estará recebendo um certificado do Ministério da Saúde, referente ao índice positivo.

“Sem dúvidas nenhuma, o fato de ser uma cidade que pensa de forma preventiva e investe na capacitação dos profissionais contribuiu para a termos um bom serviço”, declarou o médico.

O certificado é ofertado às capitais e cidades com mais de 100 mil habitantes que conseguiram eliminar a transmissão denominada vertical, por dois anos consecutivos. Em Mato Grosso, apenas Sinop e Rondonópolis receberão a premiação.

Redação Só Notícias