Saúde

Ministério de Saúde credencia serviço de hemodiálise em Sinop

A Secretaria de Estado de Saúde, na consolidação das políticas de interiorização e descentralização, conseguiu credenciar a Clínica de Tratamento Renal de Sinop junto ao Ministério da Saúde (MS). Com a medida o Estado passa a receber cerca de R$ 80 milpor mês, do Ministério, recursos esses que serão repassados para a clínica, possibilitando o atendimento inicial de até 53 pacientes cadastrados que necessitem de realizar hemodiálise em tratamento renal.

O secretário de Estado de Saúde, Augustinho Moro, que se empenhou pessoalmente para conseguir o credenciamento, comentou: “Isso demonstra o cumprimento de promessa de campanha do governador Blairo Maggi, de interiorizar a Saúde no Estado e proporcionar melhor segurança nos procedimentos de média e alta complexidade realizados naquela região. Aumenta o conforto do usuário do SUS, doente renal, que não precisa sair do lugar onde mora para obter melhor tratamento, e reduz custos com transportes de UTI móvel, aérea ou terrestre”.

O superintendente de Atenção Integral da Saúde, Victor Rodrigues, explicou que a “Clínica de Tratamento Renal recebeu recursos próprios do Estado, para atender a necessidade de hemodiálise na região de Sinop, durante o período de junho de 2004 a setembro de 2005. Com o credenciamento junto ao Ministério da Saúde a Secretaria obtém uma economia anual de aproximadamente R$ 1 milhão que poderá ser usado para atender a outras ações de Saúde”.

Outro setor que está sendo fortalecido na atenção aos serviços oferecidos no interior do Estado é o Programa Saúde da Família, que promove a saúde da população, em parceria com ações das Secretarias municipais de Saúde, capacita os profissionais envolvidos na atenção básica nos municípios e avalia o cumprimento das metas a serem alcançadas no setor. “Conseguimos atingir no Estado o total de 80% dos municípios com mais de 70% de cobertura pelo Programa Saúde da Família”, estimou Victor Rodrigues.

O superintendente lembrou que, durante o ano passado, as ações desenvolvidas nesse programa incluíram a construção de unidades estruturadas para atendimento à Saúde da Família bem como a capacitação dos profissionais de Saúde, tanto dos municípios quanto do Estado, para atender aos usuários do SUS por meio do programa. “Agora chegou a hora de cumprirmos a terceira parte do projeto”, explicou. “Estamos implantando o Programa de Avaliação das Equipes de Saúde da Família (Proesf). Essa avaliação vem para implementar medidas que avaliem o Programa Saúde da Família e permitam buscar um atendimento de excelência para o usuário. É a partir dessa avaliação que deverá começar a ocorrer a queda dos indicadores da atenção básica à Saúde em áreas do interior do Estado, diminuindo ocorrência de doenças como a dengue e a hipertensão, dentre outras.

CAPACITAÇÃO – Victor Rodrigues informou, ainda, que a Superintendência de Atenção Integral à Saúde está entrando, a partir do mês de setembro, num ciclo de eventos que enfocarão várias ações e capacitarão vários profissionais da capital e do interior nas várias áreas que compõem a saúde no fortalecimento às ações de atenção básica. “Um exemplo dessa capacitação”, citou o superintendente, “é o curso de Nefrologia pediátrica, que qualificará profissionais médicos e enfermeiros a lidar com crianças com doenças renais, bem como o curso de capacitação de enfermeiros para lidar com pacientes portadores de ostomia, situação onde o indivíduo, por motivo de doença ou trauma, tem um desvio das vias urinários ou gastrointestinal, eliminando os resíduos através da parede abdominal. Este último curso se inicia ainda nesta segunda-feira (26.09)”, informou.

O superintendente lembrou, ainda, que “teremos, no mês de novembro, a realização de um curso de reanimação neonatal que capacitará profissionais a lidar com recém nascidos que necessitam de assistência logo em seguida ao nascimento”.

.