Saúde

Mato Grosso lidera casos de hanseníase e é considerado hiperendêmico

Mato Grosso notificou uma média de 10 casos por dia de hanseníase. Dados do Ministério da Saúde, confirmam que o Estado registrou no ano passado 3.895 notificações da doença. O número corresponde a 16% do total registrado no país, que foi de 23.005 casos. Há alguns anos Mato Grosso figura com nível considerado hiperendêmico para casos de hanseníase e ocupa a primeira posição com as maiores taxas de predominância e incidência da doença no país.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em 2017 a taxa de detecção da doença no Estado foi de 105,2 casos para cada 100 mil habitantes com registro de 3.477 casos novos da doença. Na população menor de 15 anos, foram registrados 184 casos novos da doença, com taxa de detecção de 22,5 casos por 100 mil habitantes. Neste mesmo ano, 5.478 pessoas estavam se tratando da doença.

O médico Werley Peres explica que é preciso ficar atento a qualquer mancha na pele. Ele explica que entre os sintomas da hanseníase estão a dormência nas pernas, braços, pés e mãos e a perda de força nos membros inferiores. Também a perda de pelo em lugares incomuns como a sobrancelha e ainda nódulos pelo corpo. Há ainda a perda de sensibilidade, como por exemplo, a pessoa encosta em algo quente e sente que está frio e vice-versa.

“Mas é importante salientar que é uma doença que demora muito tempo para aparecer os sintomas, que costumam ser de 2 a 7 anos. Por isso a dificuldade de erradicar. A hanseníase pode cegar, deixar estéril e até mesmo provocar a morte”, diz o médico.

Peres frisa ainda que uma das preocupações da Sociedade Brasileira de Hansenologia e da Organização Mundial de Saúde é a mudança proposta pelo Ministério da Saúde reduzindo de um ano para seis meses o tratamento da doença. “Isso é muito temeroso. Pois pode comprometer o tratamento correto, perpetuar a transmissão e criar uma resistência a bactéria”, confirmou Werley.

A SES iniciou a campanha Janeiro Roxo para estimular a conscientização quanto a casos de hanseníase. O Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase é comemorado no último domingo do mês de janeiro. Esse ano o tema é “Autocuidado”, visando auxiliar a população para que conheça seu próprio corpo e detecte as mudanças que podem estar acontecendo devido à doença.

Redação Só Notícias