Saúde

Campanha contra tuberculose em Mato Grosso será intensificada

No reforço da prevenção e no combate da tuberculose no Estado de Mato Grosso, a Secretaria de Estado da Saúde está promovendo a “Oficina de integração e mobilização social para o combate da tuberculose”, que acontece entre os dias 18 e 20 de outubro, em Cuiabá. O evento visa chamar a atenção da população para os aspectos importantes da doença, sua transmissão, prevenção e tratamento. “O objetivo é esclarecer a comunidade sobre a importância do diagnóstico precoce, bem como da sua integração junto às escolas e demais instituições no controle da doença”, disse a consultora do Ministério da Saúde (MS), Marilda Santos Spinelli.

O Ministério da Saúde é um dos parceiros na realização do evento juntamente com o Centro Estadual de Referência em Média e Alta Complexidade (Cermac), Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, Organização não-governamental Alemã de Apoio aos pacientes de Hanseníase e Tuberculose (DAHW) e a Sociedade Mato-grossense de Pneumologia e Tisiologia (SMPT). Cerca de 140 pessoas, entre profissionais da saúde, representantes de escolas, universidades, clubes de serviço como Rotary, Lions e Maçonaria participarão do evento.

No dia 18 de outubro, das 8 às 17 horas, no auditório da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), localizada na avenida do CPA, acontece a oficina de integração onde serão abordados diversos temas como “Situação da tuberculose no município de Cuiabá”, “Tuberculose como doença atual”, “Polícia Nacional – Humaniza Sus”, “Comunicação e mobilização social em educação em saúde para combate da tuberculose”, “Busca de casos e diagnóstico da tuberculose”, “Experiência de casos de tuberculoses na demora do diagnóstico”, entre outros.

No dia 19 de outubro, das 8 às 17 horas, haverá uma mobilização social nos 32 centros de saúde e equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) dos Distritos Sanitários Norte e Leste da Capital. Nestas duas regiões, um carro de som estará percorrendo as ruas e avenidas dos bairros informando a população sobre os sintomas da tuberculose e orientando as pessoas que estejam com tosse há três ou mais semanas a procurar a unidade de saúde mais próxima.

Em pontos estratégicos da cidade serão distribuídos panfletos sobre o que é a tuberculose, como se contrai a doença e como pode ser curada. Já no dia 20 de outubro, também em período integral, equipes de saúde estarão atendendo os usuários nos centros de saúde para consultas, informações, diagnóstico clínico e exame de escarro (baciloscopia). “A principal medida para controlar a tuberculose é o diagnóstico precoce da doença, para que se faça o tratamento adequado”, alertou.

De acordo com a técnica da área de tuberculose da Superintendência de Atenção Integral à Saúde (SAI), Mato Grosso vem reduzindo o índice de abandono de tratamento da doença desde 1998, quando implantou a estratégia de tratamento supervisionado (DOTS, sigla em inglês para Estratégia do Tratamento Supervisionado da Tuberculose). A idéia é acolher o paciente, que deve tomar o remédio na unidade de saúde onde a enfermidade é diagnosticada, sendo que um profissional ou outra pessoa da família, parente ou amigo supervisiona o uso do medicamento pelo paciente.

O tratamento envolve a ingestão diária de medicamentos por um período de seis meses. Porém a rápida ação do medicamento, que provoca o desaparecimento da tosse persistente e elimina a febre, muitas vezes leva a pessoa a acreditar que já está curada e assim ela abandona a terapia. Aí os sintomas reaparecem e o paciente volta a procurar o médico. Quando esse processo se repete por mais uma vez o doente se torna multirresistente ao medicamento prejudicando cada vez mais a cura. Em Mato Grosso, a média de cura da doença é de 77%.

Conforme Marilda Spinelli, o preço do primeiro tratamento para uma pessoa que procura o serviço de Saúde é de R$ 63,00. Já para uma pessoa que abandonou o tratamento e a doença se tornou multirresistente o tratamento chega a casa dos R$ 5 mil que são custeados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente Mato Grosso tem de 7 a 9% de pacientes que abandonam o tratamento. A meta da Secretaria de Saúde é ficar abaixo de 5% de desistentes.

A tuberculose é uma doença contagiosa e oportunista transmitida pelo bacilo de Koch. Os sintomas mais evidentes da doença são: tosse persistente por um período de três semanas ou mais, febre baixa recorrente e emagrecimento ou perda de peso. Neste caso, a pessoa deve procurar imediatamente a unidade básica de saúde mais próxima de sua casa. A doença é curável. Mas para isso, o tratamento não pode ser interrompido.