quinta-feira, 30/maio/2024
PUBLICIDADE

Alta Floresta: campanha contra aids no carnaval terá foco nas mulheres jovens

PUBLICIDADE

A Campanha de Carnaval deste ano da Secretaria de Saúde terá como público alvo mulheres com idade entre 15 a 24 anos, especialmente as de menor escolaridade e menor poder aquisitivo, e será desenvolvida pelo Programa de DST/HIV/aids e Hepatites Virais. A campanha será dividida em dois momentos: antes e depois das festas, trazendo a mensagem pré-carnaval que foca a prevenção ao HIV e promove o uso do preservativo.

No pós-carnaval, a campanha enfatizará a necessidade de se realizar o teste de HIV, sífilis e hepatites para quem não se preveniu em qualquer relação sexual, seja com parceiro casual ou fixo. A ideia, segundo Emília Kanashiro, coordenadora do programa, é colocar a mulher como protagonista de sua história.

“O público feminino foi escolhido porque a infecção entre as mulheres está em constante crescimento. Apesar de haver mais casos da doença nos homens, essa diferença diminui ao longo dos anos”, frisou Kanashiro.

Ela explica que o aumento proporcional do número de casos de aids entre as mulheres pode ser observado pela razão de sexos (número de casos em homens dividido pelo número de casos em mulheres).

“Em 1989, a razão de sexos era de cerca de 6 casos de aids no sexo masculino para cada 1 caso no sexo feminino. Em 2009, chegou a 1,6 casos em homens para cada 1 em mulheres”, relata. De acordo com o perfil epidemiológico da cidade de Alta Floresta, de 2001 a 2010, dos casos notificados, a razão de sexo é de 1,3 casos de aids no sexo masculino para cada 1 caso no sexo feminino. A faixa etária mais atingida é de 20 a 49 anos.

No SAE (Serviço Ambulatorial de Assistência ao HIV e AIDS de Alta Floresta), encontram-se cadastrados e acompanhados 72 pessoas vivendo com o vírus HIV, sendo 36 pessoas da cidade de Alta Floresta e 36 pessoas de outros municípios.

No CTA-AF (Centro de Testagem e Aconselhamento de Alta Floresta), do total de 3.069 testes realizados, o perfil da população que procurou o serviço foi de 26% do sexo masculino e 74% do sexo feminino. A faixa etária foi de 92% para 15 a 49 anos e 8% para outras. O principal motivo da procura foi: exposição à situação de risco, sintoma relacionada à aids e o pré-natal. O SAE/CTA e CTA-AF ficam localizados na Avenida Ariosto da Riva, nº 1933, no Centro de Diagnóstico, anexo ao Hospital Municipal.

Emília ressalta que a equipe da Secretaria de Saúde estará presente na praça, durante as cinco noites de carnaval, levando informações sobre a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e disponibilizando preservativos. A previsão é de disponibilizar 50.000 preservativos durante o carnaval.

 

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE