Ponto Final

‘Medida eleitoreira’

O governador Mauro Mendes fez novas críticas à política de preços da Petrobras e classificou como uma “medida eleitoreira” o projeto de lei aprovado pelo Congresso, o qual limita a aplicação de alíquotas de ICMS para combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo. A matéria já foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas, para Mauro, não teve efeito prático, já que a estatal continuou reajustando os preços. “Eu disse em algumas entrevistas que não daria resultado e, infelizmente, não deu. Aprovaram a lei em uma semana e, na outra, a Petrobras ‘socou’ um aumento nas costas dos brasileiros. Eu falei dezena de vezes que a Petrobras está arrancando o couro dos brasileiros. Fiquei feliz que, agora, o presidente viu isso. Muitas vezes, falou-se que o culpado era o ICMS, mas ele está congelado com diesel de R$ 5,20 e o diesel já está chegando em R$ 8. Então, todo esse aumento dado até esse momento foi culpa, única e exclusivamente, de mercado e da Petrobras”.

Só Notícias