Política

Suplente de Selma Arruda, que é de Sorriso, fica no PSL e diz que foi vítima de ‘petralhas’

Diferente da senadora Selma Arruda, que esta semana migrou do PSL para o Podemos, o seu suplente Gilberto Possamai, decidiu permanecer no partido do presidente Jair Bolsonaro. A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo. Assim como a titular, ele está cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e pode perder a suplência definitivamente se o TSE mantiver a decisão, o que já foi orientado pela ex-procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Possamai é peça fundamental do processo de cassação por abuso de poder econômico e prática de Caixa 2. O suplente é emissor de um cheque no valor de R$ 120 mil pago a uma empresa de publicidade sem constar na prestação de contas da campanha. Agora, à Folha, Possamai diz que “os petralhas armaram direitinho contra nós dois”, mas não deu mais detalhes de como caiu na “armação”.

Conforme Só Notícias informou, nesta semana Selma Arruda anunciou sua filiação ao Podemos. Ela desembarcou do PSL alegando pressão do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente, para que ela retirasse a assinatura para abertura da CPI da Lava Toga.

Apesar de garantir que se mantém na base de sustentação e que apoia Jair Bolsonaro, Selma saiu atacando a família do presidente dizendo que o país não pode mais ser governado por “clãs”, em alusão ao apelido dado aos Bolsonaro, que além de ocupar a presidência e uma vaga no senado com Flávio, tem o deputado federal por São Paulo Eduardo Bolsonaro e o vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo)