Política

Sinop: prefeita se reúne com secretário estadual de Saúde para tratar da suspensão de atendimentos pelo SUS

Na próxima segunda-feira, a prefeita Rosana Martinelli (PR) se reúne, de manhã, com o secretário estadual de Saúde, Luiz Soares para discutir a respeito da gestão do Hospital Regional de Sinop e sobre o anúncio de suspensão dos atendimentos de pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no hospital Santo Antônio.

A Fundação de Saúde Comunitária de Saúde que administra o hospital particular que presta atendimentos pelo SUS, anunciou, na quinta-feira, que os atendimentos e serviços de obstetrícia, referência de pacientes nefrológicos, oncologia, UTI adulto e neonatal serão mantidos somente até este domingo. Segundo o conselho diretor, a suspensão é baseada no atraso de repasses para a instituição. O montante da dívida com internações regulares chega a R$9,4 milhões. O último repasse teria sido feito em julho, sendo assim, cinco meses e meio de atraso, já que o repasse de julho não foi feito em sua integralidade.

Sobre os pagamentos, o governo do Estado está fazendo esforços para fazer o pagamento de cerca de R$ 3,4 milhões referente aos processos de setembro e outubro. Quanto aos pagamentos de julho e agosto, os pagamentos que já haviam sido feitos pelo Estado (parte de julho e o mês de agosto), no valor de R$ 2,571 milhões, foram bloqueados pela 2ª Vara do Trabalho de Sinop para o pagamento de dívidas trabalhistas da Fundação de Saúde Comunitária de Sinop, gestora do Hospital Santo Antônio.

O conselho informa que o governo estadual foi informado da decisão, por meio de ofício enviado na segunda-feira, e que a inadimplência tem comprometido a estrutura de atendimento aos pacientes do SUS, pois médicos têm abandonado a instituição para procurar outras formas de subsistência. O déficit no orçamento da instituição dado a inadimplência do Estado também começa a afetar as famílias dos colaboradores, pois a Fundação já começa a encontrar dificuldade de honrar com o pagamento dos salários.

Segundo a administração são feitos, em média, 6 a 12 partos por dia. Já a oncologia recebe cerca de 400 pacientes para tratamento quimioterápico por mês. Se os atendimentos deixarem de ser feitos a única referência seria Cuiabá.

A Secretaria de Saúde disse por meio de uma nota enviada pela assessoria de imprensa que o governo do Estado está fazendo esforços para realizar o pagamento de cerca de R$ 3,4 milhões referente aos processos de setembro e outubro. Quanto aos pagamentos de julho e agosto, já haviam sido feitos pelo Estado (parte de julho e o mês de agosto), no valor de R$ 2,5 milhões, foram bloqueados pela 2ª Vara do Trabalho de Sinop para o pagamento de dívidas trabalhistas da Fundação de Saúde Comunitária de Sinop, gestora do Hospital Santo Antônio.